Pompeo reúne-se com talibãs e governo afegão

O secretário de Estado norte-americano, Mike Pompeo, reúne-se hoje no Qatar com negociadores do movimento extremista islâmico talibã e do governo do Afeganistão, horas depois de um ataque na capital afegã ter feito pelo menos oito mortos.

Mike Pompeo vai realizar reuniões separadas na capital do Qatar, Doha, com uma delegação talibã e outra do Governo afegão, de acordo com a agenda divulgada pelo Departamento de Estado norte-americano. Na capital do Afeganistão, Cabul, tudo como antes: oito pessoas morreram e 31 ficaram feridas na sequência da explosão de cerca de 20 morteiros.

Segundo o Ministério do Interior afegão, os disparos foram realizados a partir de dois carros em várias áreas residenciais de Cabul, densamente povoadas, incluindo na zona de Wazir Akbar Khan, que alberga as missões diplomáticas e várias empresas internacionais.

As reuniões do secretário de Estado norte-americano com ambas as partes realizam-se após o secretário de Defesa em exercício, Christopher C. Miller, ter anunciado oficialmente na terça-feira a retirada parcial das tropas norte-americanas no Afeganistão. Das atuais 4500 só devem permanecer 2500 após 15 de janeiro de 2021.

O presidente dos EUA, Donald Trump, prometeu, à chegada à Casa Branca em 2017, pôr fim à presença de soldados norte-americanos em território afegão, mas foi dissuadido pelos generais de deixar uma parte restante para ajudar a estabilizar a situação no país.

No final de fevereiro, os talibãs e os EUA assinaram um acordo histórico em Doha, com os norte-americanos a anunciarem a retirada das tropas no prazo de 14 meses, com a outra parte a comprometer-se em impedir que o território afegão preste apoio a atividades terroristas no futuro.

Além disso, os talibãs comprometeram-se a libertar mil membros das forças de segurança afegãs, enquanto Cabul deverá libertar mais cinco mil membros do movimento extremista, um processo que, após sucessivos desacordos, foi concluído em setembro, o que levou às tão aguardadas conversações inter-afegãs na capital do Qatar nesse mesmo mês.

O chefe da diplomacia norte-americana está numa digressão internacional que o levará a visitar sete países, incluindo França, Turquia e Geórgia.

Pompeo chega ao Golfo Pérsico após a sua controversa estadia em Israel, onde visitou um colonato norte-americano em território palestiniano ocupado, e terminará a sua viagem na Arábia Saudita.

Esta poderá ser uma das suas últimas viagens ao estrangeiro, já que as eleições presidenciais norte-americanas de 3 de novembro foram ganhas pelo democrata Joe Biden, embora o presidente, Donald Trump, ainda não tenha reconhecido a derrota.

Mais Notícias