Forças especiais russas resgatam criança raptada às mãos de pedófilo

As forças especiais russas resgataram um rapaz de sete anos raptado no final de setembro por um indivíduo suspeito de ser pedófilo.

A operação foi coordenada pela Interpol, depois de os seus agentes nos EUA terem detetado um utilizador da dark web com uma possível ligação com o rapto.

O suspeito de rapto e de pedofilia é um cidadão russo de 26 anos da aldeia de Makarikha, uns 240 quilómetros a leste de Moscovo.

As imagens divulgadas pelas autoridades russas mostram polícias a cortar uma porta de metal reforçado para libertar o rapaz e prender o suspeito.

A criança, não identificada, parece estar fisicamente ilesa. O menino não regressou a casa da escola no dia 28 de setembro, tendo desaparecido de um trajeto de 200 metros entre a sua casa e uma paragem de autocarro escolar em Gorki, Rússia.

Os agentes da Interpol nos EUA não tinham conhecimento prévio do caso, mas a 10 de novembro estabeleceram uma potencial ligação entre um utilizador da Dark web e o rapto na Rússia.

Ao encontrar a ligação, os agentes nos EUA alertaram a rede de especialistas em defesa das crianças da Interpol.

A unidade de crimes contra crianças da Interpol trabalha com unidades especializadas nos países membros para ajudar nas investigações através da identificação das vítimas, análise de dados e ferramentas especializadas em todo o mundo.

De acordo com a organização internacional, forças policiais de vários países forneceram informações que acabariam por ajudar a localizar o rapaz.

"Acreditando que a criança ainda estava viva, a unidade de crimes contra crianças da Interpol examinou grandes quantidades de dados, tendo encaminhado informações relevantes através do Gabinete Central Nacional da Interpol em Moscovo e da base de dados da Interpol sobre exploração sexual infantil internacional", lê-se no comunicado à imprensa.

"Hoje, um menino está de volta onde pertence - a sua família - graças a agentes especializados dedicados e à intervenção rápida das autoridades de todo o mundo", congratulou-se o secretário-geral da organização com sede em Lyon, Jürgen Stock.

"Embora estejamos verdadeiramente encantados por esta história ter um final positivo, muitas crianças continuam a aguardar o seu salvamento", lembrou.

Mais Notícias