Polícia de Hong Kong criticada por usar força contra criança de 12 anos

Incidente aconteceu durante mais uma manifestação pró-democracia. A polícia disse que a criança violou a proibição de reuniões de mais de duas pessoas imposta por Hong Kong e que por isso foi multada.

O vídeo está a ser amplamente divulgado nas redes sociais e mostra agentes da polícia de Hong Kong a encurralarem e depois a atirarem ao chão uma menina de 12 anos durante uma manifestação pró-democracia.

O vídeo, partilhado por um grupo de estudantes da Universidade de Ciência e Tecnologia de Hong Kong (HKUST), mostra como a criança começou a fugir antes que a polícia a perseguisse e a atirasse ao chão.

Em nota, citada pela CNN, a força policial defendeu as suas ações e afirmou que os agentes da polícia que surgem no vídeo usaram a "força mínima necessária" indicada para a situação.

Foi ainda dito que os manifestantes, incluindo a menina, foram intercetados durante uma operação policial.

"Durante a interação, [a criança] fugiu de repente e de uma forma suspeita". "Os oficiais, portanto, perseguiram-na e subjugaram-na com o uso da força mínima necessária", diz a nota.

A polícia disse ainda que a criança violou a proibição de reuniões de mais de duas pessoas imposta por Hong Kong e que por isso foi multada.

Quase 300 manifestantes foram presos no domingo, segundo a polícia, durante uma das maiores manifestações pró-democracia desde que a China impôs a lei de segurança nacional, em junho.

Os habitantes de Hong Kong deveriam ter ido às urnas no domingo, mas, em julho, o líder da cidade adiou as eleições legislativas por um ano, alegando preocupações de saúde pública relacionadas com a pandemia de covid-19.

Mais Notícias