Peru reabre Machu Picchu... para turista japonês retido há sete meses

O jovem de 26 anos tinha o sonho de visitar as ruínas, mas a pandemia de covid-19 obrigou a fechar a antiga cidade inca.

Após meses encerrado por causa da covid-19, o principal destino turístico do Peru, Machu Picchu, reabriu para receber um único visitante - um japonês que a pandemia deixou preso no país.

"A primeira pessoa na Terra que foi a Machu Picchu desde o confinamento sou euuuu", escreveu Jesse Katayama no seu Instagram, juntamente com uma fotografia nas ruínas desertas.

"Isto é verdadeiramente incrível! Obrigado", acrescentou num vídeo no Facebook das autoridades de turismo de Cusco, com Machu Picchu, as ruínas que anualmente atraem milhares de turistas por dia mas que têm estado fechadas desde março.

O instrutor de boxe de 26 anos, de Nara, ficou retido no Peru desde esse mesmo mês, quando comprou um bilhete para visitar Machu Picchu poucos dias antes de o país declarar a emergência sanitária.

Katayama disse a um jornal peruano que só tinha planeado passar alguns dias no Peru, mas os voos foram cancelados e as deslocações limitadas, acabando por ficar retido na cidade de Aguas Calientes (a localidade mais próxima de Machu Picchu).

A sua má sorte acabou por chegar aos ouvidos das autoridades de turismo locais, que concordaram em dar-lhe uma autorização especial para visitar a antiga cidade dos incas, reabrindo o local só para ele.

"Pensei que não poderia ir, mas, graças a todos os que apelaram ao presidente da câmara e ao governo, tive esta oportunidade superespecial", escreveu em japonês no Instagram.

"Ele tinha vindo ao Peru com o sonho de entrar", disse o ministro da Cultura peruano, Alejandro Neyra.

O império inca dominou uma importante área da América do Sul durante um século antes da conquista espanhola no século XVI. As ruínas da cidade foram redescobertas em 1911 pelo explorador norte-americano Hiram Bingham e em 1933 a UNESCO declarou o local como Património da Humanidade.

Desde que abriu ao turismo em 1948, Machu Picchu só fechou numa outra ocasião, durante dois meses em 2010, depois de uma inundação destruir a linha de comboio que liga as ruínas a Cusco.

Estava previsto que as ruínas reabrissem aos visitantes em julho, mas as previsões apontam agora para a reabertura só em novembro. Só 675 turistas por dia serão autorizados a entrar, 30% do número permitido antes da pandemia, tendo os visitantes de manter o distanciamento social.

O Peru já registou mais de 851 mil casos de covid-19 e mais de 33 mil mortes desde o início da pandemia.

Mais Notícias

Outras Notícias GMG