China confirma detenção de cidadã chinesa que tentou entrar no resort de Trump

Porta-voz do Ministério Chinês dos Negócios Estrangeiros confirma detenção de chinesa que tentou entrar no resort de Donald Trump com um disco externo com um programa malicioso.

A China confirmou hoje que "uma cidadã chinesa" foi detida nos EUA quando tentou entrar, no fim de semana, no complexo turístico do presidente norte-americano em Palm Beach (Flórida) com um disco externo que continha um programa malicioso.

"Em 3 de abril, o cônsul geral chinês em Houston foi notificado pelas autoridades norte-americanas de que uma cidadã chinesa foi detida", disse o porta-voz do ministério chinês dos Negócios Estrangeiros Geng Shuang.

Geng confirmou que o cônsul "entrou em contacto com a pessoa em questão e ofereceu assistência consular".

A mulher, identificada pelos EUA como Yujing Zhang, conseguiu passar um primeiro ponto de inspeção no 'resort' de Mar-a-Lago, onde o Presidente norte-americano, Donald Trump, se encontrava a jogar golfe.

Zhang pode ser punida com até cinco anos de prisão e uma multa de 350 mil dólares (cerca de 312 mil euros).

A mulher transportava dois passaportes chineses, quatro telemóveis, um disco rígido, um laptop e o aparelho com o programa malicioso.

O Departamento Federal de Investigação (FBI na sigla em inglês) iniciou uma investigação para determinar se se trata de espionagem.

Agentes federais disseram à imprensa local que Zhang fez declarações falsas e entrou numa área interdita.

Mais Notícias