Participantes em comícios de Trump não o podem processar se ficarem infetados

Primeiro comício é em Tulsa, local de um massacre racista em 1921, quando uma multidão de brancos matou centenas de afro-americanos num distrito negro da cidade.

As pessoas que queiram participar nos próximos comícios do Presidente norte-americano têm de se comprometer a não processar a equipa de Donald Trump em caso de contaminação pela covid-19.

Donald Trump, anunciou na quarta-feira o regresso dos comícios de campanha, suspensos devido à pandemia de covid-19, e que irão decorrer nos estados da Florida, Arizona, Carolina do Norte e Oklahoma.

No site da campanha de Donald Trump, os seus apoiantes devem assinar um aviso para se registarem nesses eventos.

"Ao pressionar o botão de registo na parte inferior, aceita o risco de exposição à covid-19 em cada local público onde outras pessoas estejam presentes. Ao participar nesta reunião, os convidados presentes assumem todos os riscos associados à covid-19 ", lê-se na página do evento que ocorrerá em Oklahoma no dia 19 de junho.

Os Estados Unidos registaram 941 mortos devido à covid-19 nas últimas 24 horas, elevando o total para 113.774 mil óbitos desde o início da pandemia, segundo a contagem realizada pela Universidade Johns Hopkins.

De acordo com os números contabilizados diariamente pela Universidade Johns Hopkins, sediada em Baltimore (leste), até às 20:30 de quinta-feira (01:30 de hoje em Lisboa) os Estados Unidos registam agora 2.021.990 de casos de contágio, sendo que cerca de 520 mil pessoas foram dadas como curadas.

O facto do comício em Oklahoma ser em Tulsa levou a várias criticas por parte de vários políticos e de líderes de organizações de proteção de minorias.

Tulsa foi o local de um massacre racista em 1921, quando uma multidão de brancos matou centenas de afro-americanos num distrito negro da cidade.

Mais Notícias