Pandemia. Uma em cada cinco crianças nos EUA não come o suficiente

O estudo realizado para medir as consequências da pandemia da covid-19 revelou números mais dramáticos do que durante a crise financeira de 2008.

Quase um quinto das crianças nos Estados Unidos não come o suficiente desde o começo da pandemia, de acordo com um estudo divulgado nesta quarta-feira.

O estudo da Brookings Institution aponta para que 17,4% das mães com crianças menores de 12 anos não conseguem alimentar os filhos de forma correta devido à falta de dinheiro.

"É óbvio que as crianças mais novas estão a viver uma forma de insegurança alimentar com uma extensão sem precedentes nos tempos modernos", disse a investigadora Lauren Bauer, citada pela AFP.

"A insegurança alimentar em famílias com crianças menores de 18 anos aumentou cerca de 130% entre 2018 e hoje", acrescentou.

Crianças obrigadas a saltar refeições

O estudo realizado para medir as consequências da pandemia da covid-19 revelou números mais dramáticos do que durante a crise financeira de 2008.

Bauer descreveu os resultados como "alarmantes", e contou o jornal New York Times como as famílias estão a diminuir o tamanho das doses e a obrigar as crianças a saltar refeições.

Pelo menos 30 milhões de trabalhadores norte-americanos perderam os empregos na paralisação da economia imposta pela pandemia.

Mais Notícias