Nova governadora de estado do Brasil não responde se é admiradora de Hitler

Daniela Reinehr, uma aliada de Bolsonaro que assumiu Santa Catarina após impeachment do antecessor, é filha do historiador Altair Reinehr, adepto do nazismo e negacionista do holocausto. À imprensa ela recusou-se a divergir das ideias do pai

Daniela Reinehr, governadora interina do estado de Santa Catarina empossada nesta quarta-feira, dia 28, não foi clara ao ser perguntada se concorda ou discorda das ideias do pai, um historiador adepto de Adolf Hitler, e do nazismo e negacionista do holocausto.

"Eu respeito as pessoas independentemente dos seus pensamentos, respeito os direitos individuais e as liberdades. Qualquer regime que vá contra o que eu acredito, eu repudio", disse Reinehr.

"Existe uma relação e uma convicção que me move, e acredito que a todos os senhores, que se chama família. Me cabe, como filha, manter a relação familiar em harmonia, independentemente das diferenças de pensamento, das defesas de ideias", concluiu.

Reinehr, advogada e produtora rural, é natural de Maravilha, cidade a cerca de 500 km da capital, Florianópois, de um estado com forte influência de emigração alemã.

O pai, Altair Reinehr, é autor de textos que relativizam a ação do regime nazi e publicou fotografias em redes sociais à porta da casa onde nasceu Hitler com a legenda "num curto espaço de tempo, acabou com o problema do desemprego de 6 a 7 milhões de pessoas, revitalizou a indústria, moralizou os serviços públicos e transformou a Alemanha num canteiro de obras".

A nova governadora assume o cargo depois de um processo de impeachment na Assembleia Legislativa de Santa Catarina ter condenado Carlos Moisés, o governador agora afastado, e absolvê-la num caso envolvendo o aumento dos salário dos procuradores do estado.

Moisés foi eleito pelo PSL, o partido pelo qual concorreu também Jair Bolsonaro, mas afastou-se do presidente, ao contrário de Reinehr, que se mantém convictamente em sintonia com o Planalto.

Mais Notícias