Morreu mulher exposta ao agente nervoso "Novichok"

A polícia britânica está investigar o caso como sendo um homicídio. A primeira-ministra britânica, Theresa May, diz estar "chocada" com a morte de Dawn Sturgess, de 44 anos

Dawn Sturgess, de 44 anos, morreu depois de ter sido exposta a "Novichok", em Salisbury, Inglaterra, revelou a polícia britânica, citada pela Reuters. Trata-se do mesmo agente nervoso que esteve em contacto com o ex-espião russo Sergei Skripal e a sua filha Yulia, no passado mês de março.

A primeira-ministra britânica, Theresa May, "chocada" com a morte de Dawn Sturgess

A mulher e o companheiro, Charlie Rowley, foram encontrados inconscientes em casa, situada em Amesbury, depois de terem sido expostos ao agente nervoso em Salisbury um dia antes, a 29 de junho.

As autoridades estão a investigar o caso como sendo um homicídio, revelou, pelo Twitter, a primeira-ministra britânica Theresa May.

"Estou chocada com a morte de Dawn Sturgess e os meus pensamentos e condolências estão com a família e os entes queridos. A polícia e as forças de segurança estão a trabalhar urgentemente para estabelecer os factos deste incidente, que está a agora a ser investigado como um homicídio", escreveu May na rede social.

"Esta é uma notícia chocante e trágica. Dawn deixa uma família, incluindo três filhos, e os nossos pensamentos e orações estão com eles neste momento extremamente difícil", disse o comissário-adjunto Neil Basu, chefe da Unidade Anti-Terrorismo da Polícia de Wiltshire, numa nota divulgada pelas autoridades.

O responsável afirmou ainda que "estas terríveis notícias" servem para "fortalecer" a "determinação" da polícia para "identificar e levar à justiça a pessoa ou as pessoas responsáveis pelo ato", que considera ser "imprudente e bárbaro".

O homem, de 45 anos, está internado no hospital em "estado grave", diz a polícia britânica, que garante estar a trabalhar para detetar o mais rápido possível a fonte de contaminação, o que ainda não foi conseguido apurar até ao momento.

As autoridades referem, no entanto, que o casal foi exposto ao agente nervoso "Novichok" após o contacto com um "item contaminado" através das mãos, sem adiantar mais detalhes.

Caso Skripal

Recorde-se que o antigo espião russo, Sergei Skripal, e a filha, Yulia, foram expostos ao mesmo agente nervoso no passado dia 4 de março em Salisbury, onde o casal também foi contaminado. Um mês depois de ter sido hospitalizada, a filha teve alta e Sergei saiu do hospital em maio.

O caso motivou uma grave crise diplomática entre o Reino Unido e a Rússia. Londres acusou Moscovo de estar por detrás do ataque com o agente neurotóxico, mas Moscovo negou sempre as acusações.

O Reino Unido acabou por suspender os contactos bilaterais com o Kremlin e expulsou 23 diplomatas russos. Vários países ocidentais seguiram-lhe o exemplo. Após o caso Skripal, também os EUA expulsaram 60 diplomatas russos, sendo que Moscovo retaliou da mesma forma.

Mais Notícias