Merkel quer bares e restaurantes encerrados a partir de novembro

Ginásios, casinos e cinemas, assim como teatros, óperas e salas de concertos também irão fechar, mas as lojas podem permanecer abertas. País regista recorde de novos casos: quase mais 15 mil nas últimas 24 horas.

A chanceler alemã vai decidir nesta quarta-feira, em conjunto com os líderes de cada estado, o encerramento de todos os restaurantes e bares a partir de 4 de novembro, num esforço para conter o rápida e "descontrolado" crescimento do número de infeções no país. Escolas e creches vão continuar abertas, de acordo com o jornal Bild, citado pela Reuters.

O jornal fez referência a um projeto de resolução em que Angela Merkel quer que os 16 primeiros-ministros dos estados concordem em fechar os ginásios, casinos e cinemas, assim como teatros, óperas e salas de concertos, mas permitir que as lojas permaneçam abertas caso adotem medidas de higiene e limitem o número de clientes. Os restaurantes só poderão servir takeaway, segundo o documento.

O relatório afirma também que o Governo federal pretende ajudar financeiramente as empresas afetadas pelos encerramentos, cita o El Mundo.

No que se refere à mobilidade dos cidadãos, o projeto indica que as pessoas só poderão estar na rua com os membros do seu agregado familiar e que estarão sujeitas a multas caso não o cumpram.

Se o projeto avançar, apenas serão permitidas pernoitas "necessárias e especificamente não turísticas".

Alemanha regista recorde de novas infeções


O número de casos confirmados do novo coronavírus na Alemanha aumentou, para um recorde de 14.964, de acordo com dados do Instituto Robert Koch (RKI). O número de mortos também aumentou - são mais 85, de acordo com o RKI.

Mais Notícias