Manifestante provoca acidente com carro de Boris Johnson [Vídeo]

Quando o primeiro-ministro britânico deixava o Parlamento, a viatura teve de travar de forma repentina após um manifestante invadir a estrada. O carro da segurança que seguia atrás embateu e deixou danos visíveis no Jaguar. Não houve feridos e o homem foi detido.

O carro do primeiro-ministro britânico Boris Johnson esteve envolvido num pequeno acidente quando seguia do Parlamento para Downing Street neste quarta-feira. O acidente não provocou feridos e foi causado por um manifestante - participava num protesto de curdos - que invadiu a rua quando o carro passava.

Quando o veículo em que seguia Boris Johnson deixou o Parlamento para percorrer a curta distância até Downing Street, após a sessão semanal de perguntas ao primeiro-ministro, um grupo de manifestantes protestava contra as iniciativas militares da Turquia sobre os rebeldes curdos e um deles correu na direção do carro, levando o motorista a travar repentinamente.

Um carro de segurança que seguia logo atrás embateu na traseira do Jaguar de Boris Johnson, deixando marcas visíveis.

O caso veio a público depois de um vídeo do acidente ter sido colocado nas redes sociais.

O porta-voz oficial de Boris Johnson confirmou que o vídeo mostrava o carro do primeiro-ministro e que Johnson seguia na viatura, mas esclareceu que ninguém ficou ferido.

"Sim, era o carro do primeiro-ministro", disse o porta-voz. "Acho que o vídeo fala por si só do que aconteceu. Não há relatos de feridos".

A Polícia Metropolitana de Londres emitiu um comunicado em que explicou o incidente: "Um peão entrou na estrada, fazendo com que os veículos parassem subitamente, o que levou dois dos veículos do comboio a envolverem-se numa colisão apenas com danos materiais".

As autoridades acrescentaram que um homem "foi detido no local por ofensas à ordem pública e por obstruir a rodovia" e que todos os veículos envolvidos "puderam circular sem problemas".

Downing Street disse que não vai fazer mais comentários mais sobre o assunto.

Mais Notícias