Homem sobrevive três semanas no meio da neve e com pouca comida

Quando a sua cabana se incendiou, o fogo alastrou tão rapidamente que o seu cão, um labrador, morreu sem conseguir sair do abrigo. Steele aguentou o frio e a fome até que o seu SOS gigantesco, desenhado no meio da imensidão branca, foi visto e ele resgatado.

Tyson Steele, de 30 anos, e oriundo do Utah, conta a sua história e é difícil de acreditar. Ia morrendo num incêndio no meio da neve, o mesmo que matou o seu cão, um labrador a quem chamou Phil. Depois, ainda aguentou três semanas apenas com algumas latas de comida até que a tripulação de um helicóptero reparou no gigantesco SOS que desenhou na neve e o salvou da morte certa.

Steele foi resgatado por uma equipa de emergência na passada quinta-feira, de acordo com informação das forças de segurança do Alasca que descreveram o episódio num relatório de oito páginas. As autoridades também partilharam o vídeo do resgate no Facebook.

Foram os amigos e a família de Steele que alertaram as autoridades para o facto de nada saberem dele há vários dias. "O pedido foi o que nos levou e procurá-lo", admitiu Ken Marsh, porta-voz do Alaska State Troopers, em entrevista ao New York Times, este domingo.

O homem, que mora sozinho no Alasca desde setembro, comprou a propriedade a um veterano da Guerra do Vietname e o seu vizinho mais próximo mora a 30 quilómetros da cabana, aponta o relatório oficial.

"Quilómetros e quilómetros de florestas, colinas, rios e lagos separavam-no das estradas", diz ainda o documento.

"O meu fogão a lenha era muito, muito velho", contou Steele aos soldados que o resgataram. Steele colocou "um grande bocado de papelão no fogão para iniciar o fogo" mais depressa. Isto apesar de, garante, ter possuído "fogões a lenha durante toda a minha vida, sabia que não se podia fazer aquilo", admitiu.

Foi esse erro que levou ao incêndio na cabana - quando acordou (no dia 17 ou 18 de dezembro, não se consegue recordar), sentia frio e um gotejar a partir do telhado. Quando foi ao exterior, percebeu que o telhado da cabana estava a pegar fogo.

"Havia explosões por todo o lado"

De acordo com o relato do sobrevivente, o incêndio propagou-se muito rapidamente e só teve tempo de pegar em alguns casacos, sacos de dormir, numa espingarda e de chamar o seu cão. Cá fora, convencido de que o animal saíra quando o chamou, e a ver a cabana a arder completamente, só ouviu um uivo. "Não tenho palavras para descrever a tristeza que senti", contou.

"Dei apenas um grito. Apenas um visceral - não zangado, não triste -, só consegui gritar. Parecia que tinha arrancado os meus pulmões", descreveu.

O fogo consumiu tudo: os seus pertences, as balas para a espingarda e chegou ao sítio onde Steele guardava óleos, graxas e um tanque de gás propano.

"Havia explosões por todo o lado", contou o homem, segundo o relatório.

Durante toda a noite, Steele combateu o fogo e quando amanheceu traçou um plano: fez um inventário do que poderia salvar dos restos carbonizados. Calculou "duas latas [de comida] por dia chegariam para 30 dias", apesar de algumas delas se terem aberto com o fogo e os os potes de manteiga de amendoim terem derretido por serem de plástico.

Durante duas noites dormiu numa caverna na neve, até conseguir montar um abrigo com lonas e pedaços de madeira que colocou em volta do fogão de madeira. Não estava exatamente quente, mas "aproveitou" o calor que podia, contou Tyson Steele.

Depois de desenhar um S.O.S. na neve, foi acrescentando cinzas do incêndio para tornar as letras escuras e assim mais identificáveis a partir do céu, o que acabou por acontecer.

Marsh, porta-voz do Alaska State Troopers, classificou a história de sobrevivência de Steele de "impressionante". "Ele fez um trabalho incrível ao pensar rápido, com clareza, a agir logicamente e, basicamente, a salvar a própria vida", disse o responsável.

Mais Notícias