Hillary Clinton sugere à China "piratear" a declaração de impostos de Trump

"Porque é que a Rússia deve ser a única a divertir-se?", questionou a ex-secretária de Estado, num programa televisivo

Em entrevista ao programa televisivo "Rachel Maddow Show" (MSNB), a candidata nas eleições presidenciais de 2016, derrotada por Trump, brincou que a China deveria hackear as declarações de impostos de Donald Trump, estabelecendo uma relação com o que a Rússia terá feito com a sua campanha.

Hillary Clinton questionou: "Imagine ... um dos candidatos Democratas às eleições 2020 dizer no seu programa que o único adversário que é tão bom quanto os russos é a China. Então, por que é que a Rússia deve ser a única a divertir-se? E já que a Rússia é claramente apoiante dos Republicanos, porque não pedimos à China para nos apoiar? China, se nos estão a ouvir, porque não acedem às declarações de impostos de Trump? Tenho certeza de que os media os compensariam largamente".

A intervenção de Hillary surge na sequência do adiamento pelo procurador-geral William Barr da audiência na Comissão de Justiça do Senado sobre o relatório Mueller. O documento, da responsabilidade do procurador especial Robert Mueller, analisa a interferência russa e a tentativa de obstrução da justiça por Donald Trump. Sobre o mesmo, disse Barr: "Não ficou provado que o presidente cometeu um crime, mas este relatório também não o iliba."

Depois, em jeito de caricatura, Hillary exemplificou: "[Se], dentro de horas, de repente, os escritórios das finanças fossem bombardeados com ferramentas cibernéticas incrivelmente sofisticadas procurando as declarações de impostos de Trump, se as extraíssem e as divulgassem onde quer que seja, talvez um novo WikiLeaks, nada de errado com isso?"

Hillary Clinton juntou, assim, as suas críticas aos oito dos candidatos democratas à presidência em 2020, pedindo que Barr se demitisse.

Mais Notícias

Outras Notícias GMG