Estados Unidos atingem a marca dos 250 mil mortos

Os EUA registaram em média mais de mil mortos por dia durante as duas últimas semanas, tendo atingido um total de 11,3 milhões de casos

Os EUA superaram na quarta-feira o limiar dos 250 mil mortos atribuídos à ​​​​​​​covid-19 desde o início da pandemia, segundo o levantamento de referência da Universidade Johns Hopkins.

O país, onde a pandemia voltou a evoluir no sentido ascendente desde há algumas semanas, é o que mais vítimas mortais tem, bem como o que mais infetados tem, com um total que já supera 11,3 milhões de pessoas.

Seguem-se, em número de mortos, o Brasil (167.455 mortos, mais de 5,9 milhões de casos), a Índia (130.993 mortos, mais de 8,9 milhões de infetados), o México (99.926, mais de um milhão infetados) e o Reino Unido (53.274 mortos, mais de 1,4 milhões de casos).

Os EUA registaram em média mais de mil mortos por dia durante as duas últimas semanas.

Perante esta aceleração da propagação da pandemia, numerosos Estados e várias metrópoles reintroduziram restrições, receando o pior quando se aproxima a festa do Dia de Ação de Graças, marcada habitualmente por grandes reuniões familiares e muitas deslocações através do país.

O Estado de Nova Iorque, por exemplo, reintroduziu o encerramento antecipado de bares e restaurantes e vai fechar as escolas a partir de quinta-feira.

A autarquia de Chicago, terceira cidade do país, apelou aos habitantes para que fiquem em casa, se não tiverem de fazer deslocações essenciais.

Um estudo dos Centros de Prevenção e Luta contra as Doenças (CDC, na sigla em Inglês), publicado no final de outubro, estimou em 300 mil pessoas a mortalidade em excesso ligada à pandemia nos EUA, baseando-se em modelos demográficos.

Uma luz de esperança vem do anúncio, pelas empresas norte-americanas Pfizer e Moderna, de duas vacinas experimentais muito eficazes contra o novo coronavirus, que, se receberem rapidamente 'luz verde' da reguladora dos medicamentos dos EUA (FDA, na sigla em Inglês), poderiam permitir as primeiras vacinações antes do final do ano.

A pandemia de covid-19 provocou pelo menos 1.339.130 mortos resultantes de mais de 55,6 milhões de casos de infeção em todo o mundo, segundo um balanço feito pela agência francesa AFP.

Em Portugal, morreram 3.632 pessoas dos 236.015 casos de infeção confirmados, de acordo com o boletim mais recente da Direção-Geral da Saúde.

A França, com mais de dois milhões de casos (46.698 mortos), é o quarto país do mundo em número de infetados, depois de EUA, Índia e Brasil, seguindo-se a Rússia (quase dois milhões de casos, 34.387 mortos), a Espanha (mais de 1,5 milhões de casos, 42.039 mortos) e a Argentina (mais de 1,3 milhões de casos, 36.196 mortos).

A doença é transmitida por um novo coronavírus detetado no final de dezembro de 2019, em Wuhan, uma cidade do centro da China.

Mais Notícias