Escavações. Suspeito do rapto e morte de Maddie tinha uma cave secreta

É o segundo dia de buscas num terreno que foi ocupado por Christian B., mas onde o alemão nunca morou. Polícia interditou o espaço aéreo por cima da zona onde decorrem as escavações.

A polícia alemã está a fazer escavações num lote de jardim perto de uma zona onde viveu o suspeito do rapto e morte de Madeleine McCann, Christian Brueckner, perto de Hannover, na Alemanha, e encontrou uma cave secreta no local. O suspeito ocupou aquele lote em 2007 e os vizinhos dizem que a casa que ficava por cima do porão foi demolida no final desse ano ou em 2008.

O local onde decorrem as escavações - que já duravam há dois dias - esteve fortemente vigiado e encoberto por cercas altas colocadas pela polícia. O espaço aéreo por cima da zona onde decorriam as buscas foi interditado, avançam os jornais alemães.

No local estão cães especialistas em busca de corpos e equipamentos de informática - recentemente foram descobertos ficheiros pornográficos relacionados com Christian B., avança o Bild.

"Posso confirmar que as buscas estão a ser realizadas no decorrer das nossas investigações sobre o caso Maddie McCann", disse à AFP a responsável do Ministério Público de Brunswick, Julia Meyer, quando questionada sobre a ação da polícia que foi avançada pelo jornal local Hannoversche Allgemeine Zeitung.

Entretanto, segundo a AFP, a polícia alemã deu esta quarta-feira por terminadas as buscas, sem adiantar pormenores.

Com recurso a cães pisteiros e escavadoras, os investigadores passaram durante o dia a pente fino uma pequena área de vegetação nesta zona habitacional no oeste de Hannover, no norte da Alemanha.

Grandes quantidades de terra e pedras foram levadas para fora do local delimitado por numerosos elementos das forças de segurança, de acordo com um fotógrafo da agência France Presse.

A busca terminou durante a tarde, após uma aeronave não tripulada da polícia ter sobrevoado a área. De acordo com o jornal Bild, não se espera que a busca seja retomada na quinta-feira.

De acordo com o jornal local Hannoversche Allgemeine Zeitung (HAZ), um cão conseguiu entrar numa cavidade debaixo de uma laje antiga, avança a agência Lusa.

O arrendatário de uma propriedade vizinha disse ao diário Bild que a cave já existia há muito tempo e não tinha sido coberta quando o barracão do jardim foi demolido, no final de 2007.

Amigo disse que Christian B. queria imitar Josef Fritzl e esconder a cave

A polícia revelou, em junho, que estava a investigar um alemão de 43 anos acerca do seu possível envolvimento no desaparecimento de Maddie, que tinha três anos em 2007, acreditando que o suspeito a terá matado.

Wolfgang Kossack, 73 anos, vizinho que mora no lote contíguo àquele outrora ocupado por Brueckner, contou ao Daily Mail que o suspeito do rapto e morte da criança britânica lhe disse que planeava regressar ao sul da Europa.

No mês passado, avança o jornal britânico, um ex-amigo de Brueckner alegou que o suspeito lhe tinha relevado que tinha uma cave numa propriedade diferente da sua morada e que queria ocultá-la tal como fizera Josef Fritzl, o homem que abusou sexualmente da filha e a prendeu durante décadas numa cave da sua casa.

Kossack contou ainda que Christian Brueckner ocupava um lote de terreno destinado a hortas mas que nunca plantou ou tentou cultivar nada. Segundo o relato do antigo vizinho, o alemão passava os dias a beber cerveja e no lote existia apenas um pequeno casebre - com uma cozinha - debaixo do qual estaria a cave secreta. Outros relatos apontam para uma antiga adega que ficaria no piso inferior da pequena casa.

O vizinho recorda-se da carrinha do suspeito - uma VW Transporter - que era onde Christian B. dormia. O alemão não trabalhava, embora tenha dito a Kossack que era mecânico de automóveis.

Esta quarta-feira, mais de 100 agentes da polícia estão no terreno, perto de Hannover, com pequenas retroescavadoras a revolver a terra no local.

Um bloco de apartamentos na cidade alemã foi identificado como tendo sido a última morada conhecido de Brueckner em Hannover. O lote que ocupou - e que agora a polícia investiga - está localizado a uma curta distância de carro desse endereço, bem como do bar 'Havana Club' , que a polícia acredita ter sido frequentado pelo suspeito.

As autoridades alemãs divulgaram poucos detalhes sobre as escavações no lote de terreno onde foi encontrada a cave secreta, mas confirmaram que as buscas fazem parte da investigação à morte de Maddie.

Questionado pelo jornal alemão Bild sobre a ligação de Brueckner ao terreno onde decorrem as escavações, o advogado do suspeito, Friedrich Fuelscher, disse que não poderia tecer comentários sobre a operação das autoridades, mas afirmou que o motivo da investigação naquele local será revelado "em breve".

O suspeito, que não foi identificado pela polícia, mas identificado pela imprensa alemã como Christian Brueckner, tem um histórico de crimes sexuais, incluindo pedofilia e violação. Atualmente está a cumprir uma sentença por tráfico de drogas em Kiel.

Brueckner pediu a libertação antecipada depois de ter cumprido dois terços da sentença e ainda aguarda a decisão.

No âmbito de outro processo, um tribunal em Brunswick já tinha condenado Brueckner a sete anos de prisão, em dezembro passado, pelo ataque a um turista norte-americano de 72 anos em 2005, também na Praia da Luz, mas ainda não existe uma sentença, uma vez que se aguardam as alegações dos advogados de defesa devido a questões técnicas relacionadas com a extradição do alemão.

Segundo a polícia, o suspeito morou na região do Algarve entre 1995 e 2007 e ganhava a vida a fazer biscates na área onde Madeleine desapareceu. Também praticava furtos em quartos de hotel e apartamentos de férias.

Madeleine McCann desapareceu do apartamento onde a família estava hospedada num resort na Praia da Luz, Algarve, a 3 de maio de 2007, alguns dias antes de comemorar o quarto aniversário, enquanto os pais jantavam com amigos num bar de tapas nas proximidades.

Apesar da enorme investigação internacional que se seguiu, nenhum vestígio de Maddie foi encontrado até à atualidade, nem ninguém foi acusado do desaparecimento da criança.

Os investigadores alemães estão convencidos de que Madeleine McCann, que desapareceu no Algarve há 13 anos, na altura com três anos, está morta.

A Procuradoria de Braunsschweig diz ter "evidências ou factos concretos" que suportam a tese de que Maddie McCann está morta, mas não "evidências forenses", uma vez que o corpo da criança inglesa nunca foi encontrado.

Em 2007, o suspeito morava a escassos quilómetros do aldeamento turístico da Praia da Luz, onde Maddie McCann desapareceu.

Para a polícia alemã, Christian B é suspeito do homicídio da criança inglesa que estava de férias com os pais e os outros dois irmãos gémeos em Portugal no momento de seu desaparecimento.

Por outro lado, o advogado de defesa de Christian B., citado pelos media germânicos, refuta qualquer envolvimento do seu constituinte no desaparecimento das crianças.

De acordo com os órgãos de comunicação social locais, os investigadores alemães descobriram roupas de criança numa caravana que pertencia ao suspeito e estão na posse de discos contendo milhares de imagens de conteúdo pedófilo.

(Notícia atualizada às 20:41 com informações de que a polícia alemã deu por terminadas as buscas. )

Mais Notícias