Enfermeira mostra as marcas da pandemia no rosto. Tem sido "exaustivo"

Kathryn, uma enfermeira do Tennessee, mostrou como tem sido "exaustivo" o trabalho dos profissionais de saúde no combate à covid-19. Partilhou no twitter uma foto do seu rosto antes de começar a tratar dos doentes e outra no decorrer da pandemia, na qual é possível ver as marcas deixadas pelo uso de equipamentos de proteção individual. Outros profissionais seguiram-lhe o exemplo.

Chama-se Kathryn, tem 27 anos, é uma enfermeira que "ama" o que faz. Está há oito meses na ala dos doentes com covid-19 num hospital em Nashville, no Tennessee, EUA, e decidiu mostrar as marcas da pandemia no rosto. Numa publicação no Twitter, que já se tornou viral, partilhou duas fotos: uma do seu rosto antes de iniciar o combate à covid-19 e outra no decorrer desta epidemia que tem sobrecarregado as unidades hospitalares e levado os profissionais de saúde ao limite.

A sorrir e a olhar para a objetiva, Kathryn surge na primeira foto, tirada em abril, depois de se formar na escola de enfermagem. Mas é com olheiras e com as marcas visíveis no rosto pelo uso durante horas do equipamento de proteção individual que aparece na segunda imagem, tirada no sábado, que partilhou nas redes sociais. ​​​​​​

​Como tudo começou e como está a decorrer, legendou a enfermeira que mostra como tem sido o "exaustivo" o trabalho no hospital de Nashville a tratar dos doentes com covid-19, como afirmou à CTV News.

O objetivo, diz esta enfermeira, é mostrar às pessoas a realidade do combate à pandemia de quem está diariamente a trabalhar em unidades hospitalares e de como está a afetar os profissionais de saúde. "As pessoas não veem isto. Não veem o que nós vemos. Não veem a realidade disto todos os dias", referiu ao canal de televisão.

Sem precisar de mostrar imagens de doentes, Kathryn pensou numa forma de mostrar a realidade de tantos que, como ela, estão na primeira linha desta pandemia a tratar dos doentes infetados.

E o que ela mostra são "apenas feitos físicos por usar todo aquele equipamento de proteção por tanto tempo", explica esta enfermeira norte-americana. "Estamos desidratados o tempo todo porque suamos muito e porque, com as máscaras, não se pode beber", só quando se vai para a sala de descanso e aí pode-se tirar a máscara e beber, relata.

"É devastador ver pessoas a morrer quando estas mortes podiam ser evitáveis"

Mas a partilha destas duas fotos é também um alerta para a gravidade que se está a viver em particular no Tennessee. A enfermeira acredita num novo aumento de infeções e pretende, por isso, chamar a atenção de quem não está a cumprir as medidas sanitárias para controlar a propagação do novo coronavírus.

"Ainda não há um tratamento definitivo para esta doença, então ver meus doentes, as pessoas que cuido, a sofrer tanto e ver outras pessoas a agir como se isto não estivesse a acontecer é irritante", concluiu.

Na publicação que já se tornou viral, esta enfermeira alerta que a covid-19 é uma "doença brutal" e que não a deseja aos seus "piores inimigos". "Entendam que não se estão só a proteger, mas a proteger os outros", avisa.

"É devastador ver pessoas a morrer quando estas mortes podiam ser evitáveis", lamenta, fazendo referência à necessidade de levar a sério o cumprimento das regras de saúde pública. "É ainda mais devastador ver as pessoas a morrer, uma vez e outra vez, da mesma forma. É devastador que o bom senso e a decência tenham sido politizados" criticou.

Depois de Kathryn publicar as duas fotos, outros profissionais seguiram-lhe o exemplo, mostrando as marcas que a pandemia está a deixar no rosto.

O estado de Tennessee regista mais de 300 mil infetados e mais de 4 mil mortes por covid-19.

Mais Notícias