"É preciso ficar em casa". Barcelona retoma medidas de confinamento para travar o covid-19

Governo catalão pede aos habitantes da cidade que fiquem em casa e só se desloquem se for imprescindível, deixando de socializar, falando numa "última oportunidade" para evitar o regresso ao confinamento em toda a região.

O governo catalão retomou medidas de confinamento para a cidade de Barcelona e outros 12 municípios da área metropolitana, de forma a travar a pandemia de coronavírus. Na quinta-feira, foram registados mais 1300 novos casos, dos quais 884 na região da capital da Catalunha.

A todos os cidadãos dos 13 municípios, o governo pede para que não viagem para as suas segundas residências e só saim de casa para fazer o imprescindível. "É preciso ficar em casa, evitar a mobilidade agora que começa o fim de semana. Recomendamos firmemente que as pessoas não se desloquem se não for imprescidível", indicou a conselheira de Saúde catalã, Alba Vergés, pedindo inclusivé que não vão à praia.

Além disso, são proibidos ajuntamentos com mais de dez pessoas e há uma nova redução da capacidade de bares e restaurantes (para 50%). São fechados os locais de diversão noturna, assim como proibidas atividades culturais, fechando cinemas e parques de atrações, mas também ginásios e piscinas.

"É importante cumprir agora, é a melhor maneira de evitar confinamentos mais restritos", acrescentou. "Estamos diante da última oportunidade para evitar que tenhamos que fazer um salto nas medidas de contenção a toda a população", indicou por seu lado a conselheira da Presidência, Meritxell Budó, lançando um apelo ao "dever cívico" dos catalães para respeitar as restrições e as recomendações.

Vergés indicou que os contágios estão a ocorrer em encontros sociais e familiares, daí a necessidade de reduzir estas ocasiões e evitar que haja ajuntamentos de muitas pessoas.

Mais Notícias