EUA preveem pior inverno da história para o sistema de saúde

O sistema de saúde dos EUA está num "momento muito crítico", afirmou o diretor dos Centros de Controlo e Prevenção de Doenças dos EUA. Robert Redfield estimou que até fevereiro terão morrido 450 000 pessoas no país por causa da covid-19.

O diretor dos Centros de Controlo e Prevenção de Doenças dos EUA (CDC), Robert Redfield, disse na quarta-feira que o sistema de saúde está a enfrentar os meses mais difíceis da sua história devido ao forte crescimento da pandemia.

"A realidade é que os meses de dezembro, janeiro e fevereiro vão ser tempos difíceis. De facto, penso que serão os mais difíceis da história da saúde pública nesta nação, em grande parte devido ao stress que vai ser colocado no nosso sistema de saúde", disse Robert Redfiel numa conferência.

O diretor de prevenção e controlo de doenças da agência explicou que o sistema de saúde dos EUA está num "momento muito crítico (...) para manter a resiliência".

Robert Redfield estimou que até fevereiro, terão morrido 450.000 pessoas nos Estados Unidos por causa da covid-19, o que significa mais 180.000 mortes só em dezembro e janeiro.

Esse número, poderia ser inferior, admitiu o responsável do CDC, porém manifestou-se pessimista quanto à atitude dos americanos. "A verdade é que a mitigação funciona. Mas não vai funcionar se apenas metade de nós fizer o que tem de ser feito. Provavelmente, nem mesmo se três quartos de nós o fizermos", disse.

EUA têm mais de 98 mil doentes internados

Estes são números muito superiores às estimativas iniciais da Casa Branca, que projetavam, no máximo, entre 100.000 e 240.000 mortes no país devido à pandemia.

Os avisos de Redfield chegam numa altura em que os Estados Unidos têm mais de 98 000 doentes internados por covid-19, tem em média cerca de 160 000 novas infeções diárias pela doença e o número de mortes aproxima-se das 2000 a cada 24 horas.

Os últimos dados da Universidade Johns Hopkins indicam que 272 820 pessoas morreram e 13 881 620 foram infetadas nos Estados Unidos desde o início da pandemia, mais do que em qualquer outro país do mundo.

O país aguarda agora a aprovação e distribuição de vacinas da Pfizer e da Moderna Pharmaceuticals, o que poderá acontecer nos próximos dias.

Um comité do CDC recomendou na terça-feira que as primeiras doses disponíveis antes do final do ano fossem utilizadas para vacinar cerca de 20 milhões de trabalhadores da saúde e utentes de lares de idosos.

A pandemia de covid-19 já provocou mais de 1,4 milhões de mortos no mundo desde dezembro do ano passado, incluindo 4645 em Portugal.

Acompanhe aqui os desenvolvimentos sobre a pandemia de covid-19 em Portugal e no mundo

Mais Notícias