Principais momentos dos 70 anos da NATO

A NATO foi criada em 1949 para unir a Europa após a II Guerra Mundial e combater o expansionismo soviético, mas nestes 70 anos mudou de "inimigos", alterou a estratégia e expandiu o número de membros.

Entre 1949 e 1991, a NATO foi o escudo protetor do Ocidente contra a ameaça soviética, em plena Guerra Fria e com as armas nucleares como pano de fundo.

Com a queda do muro de Berlim, em 1989, a partir da década de 1990, a NATO desenvolveu parcerias e admitiu como membros antigos adversários do Pacto de Varsóvia, inaugurando uma nova fase estratégica.

O ataque terrorista de 11 de setembro de 2001, nos EUA, trouxe o combate ao terrorismo para o topo das prioridades da Nato, bem como um envolvimento direto em ações militares fora da Europa (Afeganistão, 2003).

Em 2010, em Lisboa, foi adotado o novo "conceito estratégico" da Nato, alargando o seu raio de competências, perante novas ameaças, como os ciberataques, e declarando novas parcerias globais.

Eis a cronologia de alguns dos principais momentos da história de 70 anos da Nato:

04 de abril de 1949

- Assinatura do Tratado do Atlântico Norte, em Washington, pelos 12 países fundadores: Bélgica, Canadá, Dinamarca, França, Holanda, Islândia, Itália, Luxemburgo, Noruega, Portugal, Reino Unido e Estados Unidos da América.

1950

- O general norte-americano Dwight Eisenhower é nomeado supremo comandante da NATO.

1952

- Grécia e Turquia aderem à NATO.

1955

- República Federal da Alemanha adere à NATO. Em resposta, a União Soviética e oito países da Europa de Leste criam o Pacto de Varsóvia.

1966

- O Presidente francês, Charles de Gaulle, ameaça retirar a França do Tratado, em protesto contra a hegemonia norte-americana da NATO.

1967

- Novo quartel-general inaugurado em Bruxelas.

1982

- A Espanha adere à NATO.

1990

- A NATO e o Pacto de Varsóvia assinam o tratado de forças convencionais na Europa e divulgam uma declaração conjunta de não-agressão.

1991

- O Pacto de Varsóvia é dissolvido, na sequência da queda do muro de Berlim, assinalando o fim do período da Guerra Fria.

- A NATO cria o Conselho de Cooperação para o Atlântico Norte, agrupando os seus membros, países da Europa de Leste e antigas repúblicas soviéticas.

1993

- A NATO aceita oferecer a antigos membros do Pacto de Varsóvia poderes de associação limitados na organização, na forma de um programa de Parceria para a Paz.

1995

- Primeira missão militar da NATO, numa campanha de ataques aéreos contra posições bósnias na Sérvia, para tentar obrigar a um acordo de paz.

1997

- NATO e Rússia assinam o Ato Fundacional, com regras para a cooperação de paz.

1999

- República Checa, Hungria e Polónia aderem à NATO, sendo os primeiros países do antigo bloco soviético a fazê-lo.

- A NATO realiza uma campanha de ataques aéreos no Kosovo.

2001

- Após o ataque terrorista de 11 de setembro, nos EUA, foi invocado o artigo 5.º do tratado, segundo o qual um ataque a um país membro é um ataque a todos. Mas os EUA decidiram não envolver a NATO na campanha militar que se seguiu.

2002

- Os ministros dos Negócios Estrangeiros dos países membros concordam criar um Conselho NATO-Rússia, para o combate ao terrorismo.

2003

- A NATO assume o controlo da Força de Assistência de Segurança Internacional no Afeganistão, na sua primeira operação militar fora da Europa, envolvendo nove mil militares de forças de reação rápida.

2004

- Sete novos países (Bulgária, Eslováquia, Eslovénia, Estónia, Letónia, Lituânia, Roménia) aderiram à NATO.

2009

- Albânia e Croácia aderem à NATO, aumentando o número de países membros para 28.

- O Presidente francês, Nicholas Sarkozy, anuncia que a França regressa ao comando militar da NATO.

2010

- Países membros assinam, em Lisboa, o novo "conceito estratégico" da NATO.

2011

- A NATO envolve-se em missões na Líbia.

- Tribunal Internacional de Justiça determina que a Grécia não devia ter impedido a candidatura da Macedónia à NATO.

2014

- Os ministros dos Negócios Estrangeiros dos países membros decidem suspender toda a cooperação com a Rússia, na sequência da crise na Crimeia.

- A Rússia declara a NATO como "ameaça" à sua segurança interna, ameaçando reforçar o seu plano de defesa na Europa de Leste.

2016

- A NATO envia forças marítimas para o mar Egeu para tentar deter traficantes de migrantes da Turquia para a Grécia.

2017

- Montenegro adere à NATO, tornando-se o 29.º membro.

2019

- Apesar do reconhecimento de necessidade de reforço do esforço financeiro dos países membros para o orçamento da NATO, apenas sete países cumprem o objetivo de gasto de 2% do PIB, de acordo com o relatório anual da organização para 2018.

Mais Notícias