Cientista espacial russo de 74 anos acusado de espionagem

Viktor Kudryavtsev é suspeito de ter passado segredos militares, sobre um míssil capaz de voar cinco vezes mais rápido que a velocidade do som, para um país da NATO.

Na quinta-feira passada, o ministro russo da Defesa apresentou dois novos mísseis hipersónicos, que podem transportar ogivas nucleares. Chamam-se Kinzhal e Avangard. Um dia depois, na sexta-feira, a agência russa Roskosmos foi alvo de uma operação policial

Em Korolyov, perto de Moscovo, um departamento de investigação chamado TsNIIMash foi alvo de uma operação do Serviço de Segurança Federal. Entre os 10 suspeitos identificados está um premiado cientista espacial, de 74 anos, Viktor Kudryavtsev, que se encontra detido desde então em Moscovo.

A acusação que pode vir a ser feita a Viktor Kudryavtsev é a de "alta traição", que acarreta uma pena de 20 anos de prisão

Kudryavtsev é suspeito de espionagem a favor de um não identificado país da NATO, revela a BBC. Entre os planos que a secreta russa acredita terem sido ilegalmente fornecidos pelo cientista estão os dos mísseis hipersónicos, capazes de atingir a marca Mach 5, ou seja, serem cinco vezes mais rápidos que a velocidade do som.

A acusação que pode vir a ser feita a Viktor Kudryavtsev é a de "alta traição", que acarreta uma pena de 20 anos de prisão. Em 2016, ele foi um dos signatários de uma carta de apoio a Vladimir Lapygin, seu colega investigador no TsNIIMash, condenado por traição.

A investigação do Serviço de Segurança Federal incidiu também sobre a Corporação de Foguetões e Espaço (ORKK), em Moscovo.

Mais Notícias