China acusa EUA de calúnia por acusação de espionagem de vacinas

Pequim repudia alerta dado pela polícia federal dos EUA, que deu conta de tentativas chinesas para piratear investigações sobre vacina para o covid-19

A China acusou esta quinta-feira os Estados Unidos de calúnia depois que Washington ter acusado Pequim de espiar as suas investigações sobre uma vacina secreta contra a covid-19.

"A China expressa seu descontentamento e sua firme oposição a essas calúnias", disse o porta-voz do Ministério das Relações Exteriores, Zhao Lijian.

A polícia federal dos EUA emitiu esta quarta-feira um alerta aos investigadores norte-americanos que trabalham na descoberta de uma vacina para a covid-19 sobre as tentativas chinesas de piratear as pesquisas.

Várias empresas e universidades norte-americanas estão neste momento envolvidas em investigações para acelerar a descoberta de uma vacina contra o novo coronavírus, algumas com dinheiros do Estado.

Esta quarta-feira, as autoridades policiais dos EUA avisaram que há um risco de pirataria às pesquisas por parte do Governo chinês.

"As tentativas da China para atingir esse propósito representam uma séria ameaça à resposta que o nosso país procura dar à covid-19", disseram esta quarta-feira o FBI e a agência de segurança cibernética dos EUA, em comunicado conjunto.

"Os setores de saúde, farmacêutica e de investigação que trabalham com as respostas à covid-19 devem estar cientes de que serão os primeiros alvos dessa atividade (de pirataria) e tomar as medidas necessárias para proteger os seus sistemas", disseram as agências.

O FBI especifica, em particular, alegadas investigações de "ciberatores e de informadores não tradicionais conectados com a República Popular da China", suspeitos de quererem roubar elementos protegidos por propriedade intelectual.

As agências de segurança norte-americanas referem-se a piratas informáticos, mas também a investigadores e académicos que, de acordo com o Governo norte-americano, são ativados pelo Governo chinês para roubar informações de institutos universitários e de laboratórios públicos onde trabalham.

Esta acusação, rejeitada antecipadamente pelas autoridades chinesas, corre o risco de agravar ainda mais a relações entre Washington e Pequim, em escalada de tensão desde o aparecimento da pandemia de covid-19, em que o Presidente Donald Trump tem acusado o Governo chinês de ter ocultado a gravidade do novo coronavírus, no momento da sua origem, em Wuhan.

Mais Notícias