Madrid transfere separatistas detidos para prisões catalãs

A decisão afeta o ex-vice-presidente Oriol Junqueras

O Governo espanhol decidiu transferir para prisões da Catalunha nove detidos, que aguardam julgamento, envolvidos na tentativa de independência daquela Comunidade Autónoma, entre eles o ex-vice-presidente do executivo regional.

O Ministério da Administração Interna espanhol comunicou esta segunda-feira ao Governo catalão (Generalitat) que a transferência dos primeiros seis detidos será feita "a partir desta tarde" e deverão dar entrada "previsivelmente" entre quarta e quinta-feira em prisões na Catalunha.

A decisão afeta o ex-vice-presidente Oriol Junqueras, os ex-conselheiros (ministros regionais) Raül Romeva e Dolors Bassa, a ex-presidente do parlamento regional Carme Forcadell, e os dirigentes das associações cívicas independentistas ANC e Omnium Cultural, respetivamente Jordi Sanchez e Jordi Cuixart.

O Ministério da Administração Interna acrescenta que outros três prisioneiros serão transferidos "mais tarde", porque os procedimentos necessários à mudança não foram concluídos.

Todos estes detidos aguardam julgamento por delitos de rebelião, sedição e peculato no "processo" de independência da Catalunha interrompido em 27 de outubro de 2017, quando o Governo central espanhol decidiu intervir na Comunidade Autónoma.

A transferência dos prisioneiros é considerada um gesto de boa vontade de Madrid antes da reunião entre o primeiro-ministro, Pedro Sánchez, e o novo presidente do executivo catalão, Quim Torra, previsto para 09 de julho próximo.

As eleições regionais que se realizaram a 21 de dezembro último voltaram a ser ganhas pelos partidos separatistas.

Mais Notícias

Outras Notícias GMG