Berlusconi com uma "forte resposta imunológica" à covid-19

Dois dos filhos do antigo primeiro-ministro italiano e a companheira foram também diagnosticados com covid-19.

O antigo primeiro-ministro italiano, Silvio Berlusconi, mostrou "uma forte resposta imunológica" e o seu estado de saúde apresenta melhoras, disse, esta segunda-feira, o médico pessoal do empresário que foi hospitalizado na semana passada depois de ter testado positivo para a covid-19.

Berlusconi, de 83 anos, está a ser tratado a uma infeção pulmonar, na sequência de ter sido diagnosticado com o novo coronavírus, no hospital San Raffaele em Milão, onde foi internado na noite de quinta-feira.

"O quadro clínico geral parece estar a melhorar e é consistente com uma resposta imune específica robusta", disse o médico Alberto Zangrillo.

Berlusconi testou positivo para Covid-19 na semana passada, depois de voltar de férias.

O líder da Forza Italia terá deixado Villa Certosa, na Sardenha, a 19 de agosto e mudou-se para Arcore. Dias antes, na noite de 15 de agosto, Berlusconi esteve numa festa com algumas dezenas de pessoas.

Dois dos seus filhos - Bárbara, 36 anos, e Luigi, de 31 - também contraíram o vírus, assim como a namorada, a congressista Marta Fascina, de 30 anos.

Na quinta-feira, Zangrillo insistiu para que o antigo governante fosse internado nessa mesma noite. No dia a seguir, o médico referiu que o magnata era "um doente de risco por causa da idade e de doenças anteriores", tendo sido, aliás, submetido a uma cirurgia ao coração.

Zangrillo explicou que Berlusconi contraiu uma infeção pulmonar, que foi diagnosticada precocemente, e disse ainda que o ex-primeiro-ministro não está a precisar de ventilador.

Berlusconi insistiu na quarta-feira que continuaria as suas atividades políticas, apesar do teste positivo à covid-19.

"Quero ter a certeza de que estou bem. Também eu sou uma vítima como tantos italianos do contágio da covid. Uma doença da qual nunca apreciámos a importância ou os riscos envolvidos e a consequente necessidade de medidas mais rigorosas na proteção da saúde pública", escreveu no Twitter na quinta-feira.

Dentro de duas semanas realizam-se as es eleições regionais em Itália, bem como um referendo sobre a redução do número de deputados no parlamento.

Mais Notícias