Avião da força aérea brasileira foi buscar Fuminho a Moçambique

Gilberto Aparecido dos Santos, conhecido como "Fuminho", era procurado há mais de 20 anos pelas autoridades brasileiras

Moçambique entregou ao Brasil um dos narcotraficantes mais procurados no país: Gilberto Aparecido dos Santos, conhecido como "Fuminho", detido na segunda-feira passada em Maputo e que foi preso neste domingo numa prisão federal brasileira, informaram as autoridades de ambos países.

O suspeito, detido por "entrada ilegal no território nacional", foi entregue às autoridades policiais brasileiras em "cumprimento de um mandato de prisão internacional", anunciou o ministério do Interior de Moçambique em um comunicado.

O narcotraficante deixou Moçambique no sábado a bordo de um avião militar brasileiro, informou a polícia do país africano, que distribuiu à imprensa fotos do suspeito algemado.

O Ministério da Justiça brasileiro informou na tarde deste domingo que "Fuminho" se encontra numa prisão federal do país.

Um dos principais líderes do Primeiro Comando da Capital (PCC), "Fuminho", estava em fuga há mais de 20 anos, segundo a Polícia Federal brasileira.

Gilberto Aparecido dos Santos era considerado "o maior fornecedor de cocaína a uma fação com atuação em todo o Brasil, além de ser responsável pelo envio de toneladas da droga para diversos países", de acordo com a PF.

O narcotraficante foi detido durante uma operação organizada por polícias de Brasil e de Moçambique, com a participação da diplomacia brasileira, do Departamento de Justiça dos Estados Unidos (DoJ) e da agência antidrogas dos Estados Unidos (DEA).

Aquando da detenção, Gilberto Aparecido dos Santos estava com três passaportes - dois nigerianos e um falso, 100 gramas de cannabis, 15 telemóveis um carro, 34.700 meticals (moeda moçambicana) e 5.000 rands em dinheiro, informou em Maputo o porta-voz da polícia moçambicana, Leonardo Simbine.

De acordo com a polícia, "Fuminho" chegou a Moçambique em março.

Mais Notícias