Americanos Paul Milgrom e Robert Wilson ganham Prémio Nobel da Economia

Dupla premiada - Paul Milgrom e Robert Wilson - pelo trabalho desenvolvido em leilões comerciais.

O Prémio Nobel da Economia foi atribuído nesta segunda-feira aos economistas norte-americanos Paul Milgrom, 72 anos, e Robert Wilson, 83 anos, especialistas em leilões cujo trabalho inovador foi utilizado em particular para a atribuição de frequências de telecomunicações.

O Prémio do Banco da Suécia de Economia em Memória de Alfred Nobel é-lhes atribuído por "melhorar a teoria dos leilões e inventar novos formatos de leilão", disse o júri da Academia Sueca de Ciências.

De acordo com a organização, "os novos formatos de leilão são um belo exemplo de como a investigação básica pode posteriormente gerar invenções que beneficiam a sociedade".

"A característica incomum deste exemplo é que as mesmas pessoas desenvolveram a teoria e as aplicações práticas. A investigação inovadora dos laureados sobre leilões foi, portanto, de grande benefício para compradores, vendedores e para a sociedade como um todo", pode ler-se.

Os dois economistas, ambos professores de Stanford, também trabalharam em mecanismos de atribuição de faixas horárias de aterragem nos aeroportos.

Os vencedores vão dividir o prémio de dez milhões de coroas suecas (cerca de 950 mil euros).

No ano passado, os vencedores foram três investigadores, Michael Kremer, Abhijit Banerjee e Esther Duflo (que são casados), pelo trabalho "experimental" no teste de medidas de luta contra a pobreza.

A economia encerra uma temporada Nobel marcada na sexta-feira pelo prémio da Paz atribuído ao Programa Mundial Alimentar, a agência das Nações Unidas que combate a fome.

Na quinta-feira, a poetisa norte-americana Louise Glück foi galardoada com o prémio de Literatura.

Além da americana Andrea Ghez, covencedora em Física na terça-feira, duas mulheres entraram na história do Nobel pela sua descoberta da "tesoura genética": a francesa Emmanuelle Charpentier e a norte-americana Jennifer Doudna tornaram-se a primeira dupla só de mulheres a ganhar um Nobel científico.

Os laureados, que partilham quase um milhão de euros por cada disciplina, receberão o seu prémio neste ano no seu país de residência, por causa da pandemia de covid-19, no dia 10 de dezembro.

Mais Notícias

Outras Notícias GMG