26590 valeu o El Gordo. Jornalista estava em direto quando soube que era premiada

Os prémios da maior lotaria do mundo, que distribui mais de dois mil milhões de euros em prémio, foram muito repartidos. Mas a maior fatia foi para Alicante e Tarragona. Uma jornalista da TVE, que ganhou o El Gordo, festejou na rua.

26590 foi o número da sorte na Lotaria de Natal espanhola, o El Gordo, entregue este domingo e foi dos primeiros a sair. O maior sorteio de Natal do mundo distribuiu este ano mais de dois mil milhões de euros. Natalia Escudero, repórter de 'La Mañana' da TVE, foi uma das sortudas. "Amanhã não vou trabalhar, Natalia amanhã não trabalha!", disse numa explosão de alegria após o sorteio.

A jornalista foi uma das protagonistas do dia da Lotaria do Natal espanhola, quando estava a relatar o sorteio a partir de San Vicente del Raspeig, em Alicante, e se apercebeu que tinha sido uma das premiadas.

Mais tarde, Natalia Escudero esclareceu que o seu bilhete premiado não é propriamente o do prémio "gordo" mas sim "apenas" de um outro, no valor de 5 mil euros.

Cada série do número vencedor deu 4 milhões de euros, sendo que cada décima vale 400 mil euros (o custo de uma décima é cerca de 20 euros). Foi pelas 9:40 que Noura Akrouh e Elizabeth del Carmen Roque, as crianças que abriram o sorteio, cantaram o número premiado.

O El Gordo deste ano foi muito repartido e distribui primeiros prémios, sobretudo, em Alcoy (Alicante) San Vicente del Raspeig (Alicante), Moraira (Alicante), Barcelona, Súria (Barcelona), Beniajan (Murcia), Las Torres de Cotillas (Murcia), Salamanca, Sevilla, Salou (Tarragona) e Madrid.

Quem teve a sorte de ter uma décima premiada, com 400 mil euros, tem agora a possibilidade de mudar de vida, como refere a imprensa espanhola. Esta lotaria tem também a particularidade dos prémios puderem ser pagos já este domingo.

O segundo prémio foi para o número 10989 e o terceiro para o 00750. Houve ainda quartos e quintos prémios.

O El Gordo é muito popular em Espanha, mas também há portugueses que comprar a lotaria de Natal do país vizinho, que até já saiu à rainha Letizia. Este é um sorteio que já existe há mais de 200 anos.

Como é que se joga?

Pode ser a Lotaria de Natal, mas desde julho que está à venda em Espanha. Cada décimo custa 20 euros e pode valer 400 mil euros caso a sorte dite que esse é o número do El Gordo. Se tiver comprado todo um bilhete (isto é, dez décimos, gastando 200 euros) ganha quatro milhões de euros.

No total há 1700 décimos de cada um dos cem mil números (do 00 000 ao 99 999) que entram na tômbola, razão pela qual o prémio total do El Gordo é de 680 milhões de euros. Uma série é cada uma das sucessões desses cem mil números, tendo sido impressas 170 séries.

O preço elevado faz que seja normal comprar só um décimo (ou até dividir ainda mais), partilhando um bilhete inteiro com a família, com os colegas de trabalho ou com um grupo de amigos. Ganhar torna-se assim um evento que é partilhado entre todos.

E para comprar já não é preciso fazer fila à porta das agências: já é possível comprar online e os dados mostram que esse tipo de venda está a subir. Mas as filas ainda se repetem anualmente.

A maioria vende-se, sobretudo, nos dias anteriores ao sorteio (que decorre sempre a 22 de dezembro): em média, estima-se que os espanhóis gastem 67,56 euros na lotaria de Natal.

Quando foi o primeiro sorteio do El Gordo?

O primeiro sorteio da Lotaria de Natal ocorreu em 18 de dezembro de 1812, em Cádis, depois de o então ministro da Câmara das Índias Ciriaco González Carvajal decidir que seria uma forma de "aumentar os ingressos nos cofres públicos sem prejudicar os contribuintes", segundo o site La Lotería de Navidad. Era uma forma de angariar dinheiro para continuar a expulsar o invasor, Napoleão Bonaparte, que atravessara os Pirenéus em 1808 com o seu exército.

O primeiro número a ganhar o El Gordo foi o 03604 - e até hoje não se sabe quem ganhou. Cada décimo custava 40 reais (o que equivale a seis cêntimos) e o primeiro prémio rendia 32 000 reais (48 euros). Em 1870, o décimo custava 30 cêntimos e rendia o equivalente a 900 euros - uma fortuna para a época. O momento em que foi mais generoso foi nas décadas de 1920 a 1940: um décimo custava 60 cêntimos e dava o suficiente para comprar edifícios inteiros.

Desde o primeiro sorteio da Lotaria de Natal como entidade própria (em 1892) que são os alunos do Colégio de San Ildefonso que cantam os números, que até 1913 eram impressos em papéis. Desde então, instaurou-se o sistema (ainda usado atualmente) de bolas de madeira que são colocadas em tômbolas: uma maior para os números, outra menor para os prémios.

[atualizado às 19.40 com a informação de que o prémio ganho pela jornalista é de 5000 euros]

Mais Notícias

Outras Notícias GMG