Presidente do Irão: Destino de Trump "não será melhor" que o de Saddam Hussein

O presidente iraniano indicou que Trump fracassou no seu confronto, que tentava acabar com o sistema da República Islâmica, como Saddam na sua guerra contra o país persa, entre 1980 e 1988.

O Presidente do Irão, Hassan Rohani, disse esta quarta-feira que o Presidente cessante dos Estados Unidos, Donald Trump, terá um destino semelhante ao do ditador iraquiano morto Saddam Hussein, que iniciou uma guerra contra a República Islâmica.

"O destino de Trump não será melhor do que o de Saddam. Saddam e Trump foram dois loucos que impuseram uma guerra militar e económica à nação do Irão", declarou Rohani durante a reunião semanal do seu gabinete, segundo o 'site' oficial da presidência.

O presidente iraniano indicou que Trump fracassou no seu confronto, que tentava acabar com o sistema da República Islâmica, como Saddam na sua guerra contra o país persa, entre 1980 e 1988.

"Tivemos duas criaturas loucas que impuseram a guerra contra o nosso povo. Um louco foi Saddam e o outro Trump: um impôs a guerra militar e o outro a guerra económica", disse.

"Na guerra militar unimo-nos e tornámos unânime a nossa voz para conquistar a vitória e no dia que enforcaram o louco assistimos à vitória final", adiantou.

O presidente cessante norte-americano retirou em 2018 o seu país do acordo nuclear entre as grandes potências e o Irão, assinado em 2015, e restabeleceu duras sanções a Teerão. A vida dos iranianos foi grandemente afetada pela consequente crise económica.

A vacina iraniana entrou esta semana na fase de ensaios em humanos

Neste momento o desenvolvimento da vacina contra a covid-19 é mais um desafio para as autoridades iranianas. Com mais de 54.000 mortos entre um milhão de infetados, o Irão é o país mais afetado pela pandemia no Médio Oriente.

Rohani tentou hoje tranquilizar os cidadãos, prometendo que todos terão acesso à vacina.

"Em relação à covid-19 não temos qualquer preocupação para o futuro, nem para a elaboração, nem para a produção da vacina", disse o presidente, assegurando também que "para a compra da vacina produzida no exterior o Banco Central e o Ministério da Saúde estão a desenvolver todos os esforços".

A vacina iraniana entrou esta semana na fase de ensaios em humanos e espera-se que a sua produção em massa se inicie em finais de junho de 2021.

Mais Notícias

Outras Notícias GMG