Transportes rodoviários da Área Metropolitana Lisboa adotam horário de verão

Os transportes públicos rodoviários da Área Metropolitana de Lisboa vão adotar o horário de verão ou, nos casos em que ele não esteja definido, o de agosto, no âmbito da prevenção da epidemia de Covid-19, foi anunciado esta quinta-feira.

Em comunicado, a entidade Área Metropolitana de Lisboa (AML) explica que se trata de "medidas adicionais de contingência nos autocarros", para ajustar a oferta e "assegurar a reserva de motoristas para necessidades futuras do serviço público de transportes".

"Estas medidas terão, no entanto, de contemplar a necessidade de a oferta poder ter de ser ajustada à procura que vier a verificar-se em cada momento, em áreas, horários e serviços específicos, e deverão ainda garantir uma resposta aos horários, iniciais e finais, e respetivos períodos laborais", ressalva a nota.

Assim, a partir desta quinta-feira as transportadoras terão de adaptar os seus horários para o período de verão ou, caso este não esteja contemplado, para o de agosto.

"Desta forma, pretende-se garantir a salvaguarda do distanciamento social aconselhável entre passageiros, e entre estes e o pessoal tripulante, nos diversos serviços realizados", refere a nota.

Segundo um anúncio anterior da AML, desde domingo que os passageiros não podem comprar o seu bilhete a bordo no transporte rodoviário, de forma a os motoristas deixarem de ter contacto com dinheiro e operações de pagamento.

A entrada e saída dos utentes passou "a processar-se apenas pelas portas traseiras dos autocarros de serviço urbano e interurbano, deixando as entradas de ocorrer pela porta da frente, junto ao motorista".

Deixaram de ser obrigatórias as validações dos títulos nos autocarros.

A Área Metropolitana de Lisboa revelou ainda ter reforçado o apelo, junto dos operadores, "para que se empreenda um esforço suplementar de oferta que responda à procura que se vier a verificar em cada momento, e em áreas e serviços específicos".

O novo coronavírus, responsável pela pandemia da Covid-19, já infetou mais de 210 mil pessoas em todo o mundo, das quais mais de 8.750 morreram.

Das pessoas infetadas, mais de 84.000 recuperaram da doença.

Em Portugal, há 785 casos confirmados de infeção e três mortos.

A Assembleia da República aprovou na quarta-feira o decreto de declaração do estado de emergência que lhe foi submetido pelo Presidente da República com o objetivo de combater a pandemia de Covid-19.

O estado de emergência proposto pelo Presidente prolonga-se até às 23:59 de 02 de abril, segundo o decreto publicado quarta-feira em Diário da República, que prevê a possibilidade de confinamento obrigatório compulsivo dos cidadãos em casa e restrições à circulação na via pública, a não ser que tenham justificação.

As medidas que concretizam o estado de emergência serão aprovadas esta quinta-feira em Conselho de Ministros.

LEIA MAIS AQUI

Mais Notícias