Rússia pede resposta "urgente" dos EUA a garantias de segurança

Moscovo considera que a só a aceitação por parte de Washington das garantias de segurança pode evitar uma nova era de instabilidade na região.

A Rússia disse esta segunda-feira que precisa "urgentemente" da resposta dos Estados Unidos sobre a proposta de garantias de segurança apresentadas por Moscovo, que prevê a renúncia de todas as atividades militares da NATO na Europa de Leste.

"Acho que eles (os EUA) vão tentar alongar o processo. Mas exigimos urgentemente (as garantias), porque a situação é muito complicada, muito séria e tende a piorar", disse o vice-ministro dos Negócios Estrangeiros da Rússia, Serguei Riabkov.

Riabkov repetiu que o Kremlin está preparado para iniciar negociações sobre a proposta de garantias de segurança, apresentada na passada semana e que inclui a proibição de atividades militares dos aliados junto da Ucrânia e a retirada de promessas de integração deste país, e de outros países da Europa de Leste, na NATO.

"Quando as nossas relações, por causa de Washington, se aproximam de um ponto crítico, é necessário, da maneira mais urgente, dar passos concretos para reduzir o grau de confronto", disse o vice-ministro russo, referindo-se à escalada de tensão militar junto das fronteiras ucranianas.

Moscovo considera que a só a aceitação por parte de Washington destas garantias de segurança pode evitar uma nova era de instabilidade na região.

A Rússia propõe ainda a exclusão de colocação de armas nucleares fora das fronteiras de ambos os países.

Num tratado que seria inédito, ambas as partes comprometer-se-iam também a destruir a infraestrutura já existente para esses fins no exterior, além de deixar de fazer testes nucleares e a treinar especialistas civis e militares de outros países.

Washington já informou que precisa de consultar os seus aliados europeus antes de transmitir uma decisão sobre a proposta russa.

Mais Notícias

Outras Notícias GMG