Ucrânia: Moscovo assegura não ter "qualquer intenção de atacar" país vizinho

Encontro em Genebra motivou conversas entre Rússia e Estados Unidos sobre a situação na fronteira da Ucrânia. Russos já tinham reiterado exigência de não autorizar a Ucrânia a aderir à NATO. A possibilidade de uma invasão russa já motivou protestos na capital ucraniana.

Negociadores da Rússia e dos Estados Unidos abordaram esta segunda-feira em Genebra a situação na Ucrânia, com Moscovo a assegurar não ter "qualquer intenção de atacar" o país vizinho e Washington a reiterar advertências sobre uma eventual invasão.

O negociador russo indicou que os EUA não devem "subestimar" o risco de um confronto, e assegurou que os norte-americanos "levam muito a sério" os avisos emitidos por Moscovo, em particular sobre as consequências de um eventual alargamento da NATO em direção a leste.

Por sua vez, a parte norte-americana assinalou que a política de "portas abertas" da NATO vai prosseguir, apesar de manifestar disposição para o diálogo com a Rússia, incluindo sobre controlo recíproco de armamento e manobras militares.

Mais Notícias

Outras Notícias GMG