"Vou destruir-te". Casa Branca suspende assessor que ameaçou jornalista

Um dos assessores de Joe Biden na Casa Branca foi suspenso durante uma semana, sem pagamento de salário, por alegadamente ter ameaçado um jornalista.

TJ Ducklo é o nome do assessor do presidente norte-americano que foi suspenso durante uma semana, sem direito a pagamento de salário, por supostamente ter ameaçado "destruir" a jornalista do "Politico" Tara Palmeri que fazia perguntas sobre o sobre o seu relacionamento com uma jornalista do site Axios. A porta-voz da Casa Branca, Jen Psaki, disse que Ducklu já pediu desculpas a Palmeri.

O presidente Joe Biden foi criticado por não por não tomar medidas mais firmes neste caso, já que anteriormente tinha dito que demitiria "na hora" qualquer funcionário que falasse desrespeitosamente aos colegas. Ficou-se pela suspensão de T.J. Ducklo, o vice porta-voz da Casa Branca, depois da revista "Vanity Fair" noticiar as suas alegadas ameaças a Palmeri.

A repórter do Politico estava a investigar o relacionamento de T.J. Ducklo com Alexi McCammond, um jornalista de Axios que tinha feito a cobertura a campanha eleitoral de Joe Biden e contactou o assessor de Biden. Segundo a Vanity Fair, TJ Ducklo terá telefonado para Tara Palmeri e dito: "Vou destruir-te", ao mesmo tempo que fez outros comentários depreciativos e misóginos.

A porta-voz do presidente Biden tuitou na sexta-feira que TJ Ducklo foi "o primeiro a reconhecer que este não é o padrão de comportamento estabelecido pelo presidente".

O presidente Biden tinha dito à sua equipa, no primeiro dia de mandato, que não toleraria comportamento de intimidação. "Não estou a brincar quando digo isso: se trabalhar comigo e eu ouvir que trata outro colega com desrespeito, demiti-lo na hora. Sem mas nem meio mas", disse Joe Biden.

Mais Notícias

Outras Notícias GMG