Quatro anos depois, Big Ben volta a mostrar-se para anunciar 2022

Grande relógio londrino tem estado em projeto de restauração desde 2017

Todos os quatro mostradores do Big Ben são esta sexta-feira exibidos pela primeira vez em quatro anos, para o toque de Londres a anunciar a chegada de 2022.

Pela primeira vez desde 2017, o mostrador do relógio é revelado para mostrar o trabalho realizado, incluindo a restauração do esquema de cores original, um azul e dourado da Prússia, para os mostradores e ponteiros do relógio.

O Grande Relógio londrino e a Torre Elizabeth têm estado envoltos em andaimes desde 2017 para um extenso trabalho de renovação que também silenciou em grande parte os bongos e carrilhões do famoso sino no interior do relógio.

Mas a restauração está quase completa e o Big Ben soará as 12 badaladas usando pela última vez um mecanismo temporário, com o original a estar de volta no início do novo ano.

O mecanismo da era vitoriana, de 11,5 toneladas, foi removido da torre com vista para o rio Tamisa para protegê-lo da poeira e detritos criados pelas obras na torre de 96 metros de altura.

Foi transportado para uma empresa especializada no noroeste da Inglaterra, onde todas as suas mais de 1.000 peças foram limpas e reparadas.

Keith Scobie-Youngs, diretor e cofundador da Cumbria Clock Company, disse que foi uma "oportunidade única na vida de trabalhar no relógio mais conhecido do mundo", "o coração do Reino Unido".

O projeto enfrentou obstáculos ao longo dos últimos anos, com o projeto de restauração a derrapar em mais de 20 milhões de euros após a descoberta de amianto em 2020, além de danos causados ​​por bombas na segunda guerra mundial e problemas de poluição.

Devido aos contratempos, os planos iniciais que apontavam para ter o Big Ben a funcionar para o Brexit em 31 de janeiro de 2020 tiveram de ser substituídos pela projeção de um relógio gigante em Downing Street para marcar o momento em que a Grã-Bretanha deixou a UE.

O Grande Relógio foi desenhado por Edmund Beckett Denison e instalado por Edward John Dent em 1859, com o objetivo de criar o relógio público mais preciso do mundo.

Ian Westworth, um dos mecânicos de relógios do parlamento, disse que foi "um dever e um privilégio" para a sua equipa trabalhar neste projeto. "Acho que Edward John Dent ficaria muito satisfeito por o relógio que ele fez ainda estar a cumprir o trabalho para o qual ele o projetou, mais de 160 anos depois", acrescentou.

Apesar de a pandemia de coronavírus ter forçado a capital britânica a cancelar, pelo segundo ano consecutivo, a sua exibição anual de fogo de artifício no rio Tamisa, os foliões do ano novo em Westminster terão assim os mostradores recém-pintados do Big Ben para admirar, enquanto o relógio fizer ouvir as 12 badaladdas a marcar o final de 2021..

Mais Notícias

Outras Notícias GMG