Presidente ucraniano saúda o "apoio inabalável" dos EUA após conversações com Biden

O líder ucraniano revelou que discutiu com o presidente dos EUA, Joe Biden, várias questões, incluindo ações conjuntas da Ucrânia, dos EUA e dos aliados para "manter a paz na Europa".

O Presidente ucraniano, Volodymir Zelensky, saudou o "apoio inabalável" dos Estados Unidos à soberania e integridade territorial do seu país, após uma conversa telefónica com o seu homólogo norte-americano Joe Biden, no domingo à noite.

"A primeira conversa internacional deste ano com Biden prova o caráter especial das nossas relações", escreveu Zelenski no Twitter.

O líder ucraniano acrescentou que discutiu com o seu homólogo norte-americano várias questões, incluindo ações conjuntas da Ucrânia, dos EUA e dos aliados para "manter a paz na Europa".

As partes também discutiram as reformas em curso na Ucrânia, disse.

A Casa Branca revelou anteriormente que Biden tinha reiterado o apoio de Washington a Kiev face ao aumento das tensões sobre a acumulação de tropas russas na fronteira do país.

"O Presidente Biden deixou claro que os EUA e os seus aliados e parceiros responderão de forma decisiva se a Rússia continuar a invadir a Ucrânia", disse a porta-voz da Casa Branca, Jen Psaki, numa declaração.

No telefonema, Biden salientou também a Zelenski o "compromisso" dos Estados Unidos "com a soberania e a integridade territorial da Ucrânia".

É a segunda chamada entre os dois líderes num mês, no meio de preocupações com o aumento da presença militar russa na fronteira ucraniana.

A primeira conversa entre Biden e Zelenski teve lugar a 9 de dezembro, dois dias após o líder norte-americano ter falado com o seu homólogo russo Vladimir Putin.

Na semana passada, Biden voltou a falar com Putin, instando-o novamente a desanuviar as tensões na fronteira ucraniana, de acordo com a Casa Branca.

A Rússia negou estar a preparar uma ofensiva contra a Ucrânia e disse que o Ocidente presta demasiada atenção aos movimentos de tropas dentro das fronteiras da Rússia.

O diálogo EUA-Rússia sobre segurança na Europa terá início em Genebra, a 10 de Janeiro, e prosseguirá em Bruxelas, a 12 de Janeiro, na reunião Rússia-NATO, e depois em Viena, na Organização para a Segurança e Cooperação na Europa (OSCE).

Mais Notícias

Outras Notícias GMG