Polícia interrompe festa clandestina com 300 idosos no Brasil

Em Ribeirão Preto, interior do estado de São Paulo, os foliões não resistiram ao Carnaval, mesmo em fase de restrição rígida de reuniões de pessoas em virtude da pandemia. Só naquele estado, houve 500 denúncias de festas ilegais no último fim de semana

A polícia interrompeu, apenas no estado de São Paulo, no Brasil, 500 festas clandestinas nas noites de sexta-feira, 12, e sábado, 13, por violarem o confinamento imposto pelo governador João Doria, no contexto da pandemia.

Na sua maioria, as reuniões de dezenas ou centenas de pessoas são "pancadões", ou seja, bailes "funk" frequentados maioritariamente por jovens. No meio dessas reuniões, no entanto, uma surpreendeu os agentes da autoridade: era uma festa com cerca de 300 idosos, numa casa de eventos no centro de Ribeirão Preto, 350 km a norte de São Paulo.

A polícia interrompeu a festa ilegal repleta de cidadãos no grupo de maior risco de complicações derivadas do novo coronavírus às 22 horas do último sábado. A aproximação do Carnaval, celebração essencial na cultura brasileira, terá justificado o encontro, proibido por decisão do governo estadual desde a instauração da "fase laranja", a segunda mais restritiva, segundo a qual, restaurantes e outros comércios devem fechar às 20 horas.

"Também conseguimos evitar a realização de outras festas que estavam marcadas e foram canceladas depois que os organizadores souberam da nossa operação", disse Vânia Rodrigues, chefe da Vigilância Sanitária do município.

Mais Notícias

Outras Notícias GMG