Motivo islâmico "provável" em ataque com faca em Würzburgo

Gritos ouvidos pelas testemunhas sugerem a possibilidade de motivos islâmicos no ataque de Würzburgo.

O ataque na sexta-feira na cidade alemã de Würzburgo por um somali, que matou três pessoas à facada, tem um "provável" contexto "islâmico", disseram hoje a polícia e a procuradoria encarregados da investigação.

"O Gabinete central da Baviera para o Extremismo e Terrorismo assumiu a investigação porque é provável um motivo islâmico", indicaram o Ministério Público da Baviera e o serviço regional da polícia criminal num comunicado conjunto.

"Esta tese é apoiada pelos dois gritos de "Allah Akbar" ("Deus é grande" em árabe) ouvidos por testemunhas aquando da execução do crime e por uma referência à jihad feita pelo suspeito durante a sua hospitalização numa clínica de Würzburgo após a detenção.

No entanto, a procuradoria federal antiterrorista ainda não assumiu a investigação. "Até ao momento não foram encontradas provas de material de propaganda ou outros conteúdos extremistas", precisa o comunicado.

A investigação centra-se atualmente na análise dos objetos, entre os quais dois telemóveis, que foram apreendidos no apartamento do somali de 24 anos, que chegou à Alemanha em 2015. Em questão está também o estado de saúde mental do homem.

Com autorização de residência na Alemanha, o homem era conhecido da polícia e a justiça tinha ordenado o seu internamento provisório num hospital psiquiátrico.

Na sexta-feira ao final da tarde, o agressor, descalço e armado com uma faca de cozinha, atacou sucessivamente 10 pessoas, algumas na cabeça e no pescoço, num armazém de Würzburgo.

Três mulheres foram mortas e seis outras pessoas, incluindo uma criança, ficaram gravemente feridas, mas estão agora fora de perigo. Uma última pessoa foi ligeiramente ferida.

Mais Notícias

Outras Notícias GMG