Morreu George Shultz, secretário de Estado de Reagan no fim da Guerra Fria

Considerado um dos "maiores estrategas de todos os tempos", tinha 100 anos.

George Shultz, secretário de Estado do presidente Ronald Reagan e grande arquiteto da diplomacia norte-americana no final da Guerra Fria, morreu no sábado aos 100 anos, anunciou este domingo o Hoover Institute.

"Um dos maiores estrategas de todos os tempos, que trabalhou com três presidentes norte-americanos, George P. Shultz morreu a 6 de fevereiro", indicou no seu 'site' o centro de reflexão ligado à universidade californiana de Stanford.

"Shultz desempenhou um papel fundamental, com o presidente Ronald Reagan, para mudar o curso da história utilizando todos os instrumentos da diplomacia para acabar com a Guerra Fria", adianta o instituto, do qual o ex-ministro foi membro durante mais de 30 anos.

Segundo o Hoover Institute, Shultz é "um dos dois únicos norte-americanos a ter ocupado quatro pastas diferentes no governo federal", enquanto ministro dos Negócios Estrangeiros, do Tesouro, do Trabalho e diretor de Orçamento na Casa Branca.

Uma outra secretária de Estado republicana, Condoleezza Rice, saudou a memória de um "grande estadista norte-americano" e de um "verdadeiro patriota", que "tornou o mundo melhor".

Nascido a 13 de dezembro de 1920 na cidade de Nova Iorque, George Pratt Shultz estudou economia e assuntos públicos e internacionais na Universidade de Princeton, tendo-se formado em 1942.

Fora da política desde que se reformou, Shultz não deixou de defender uma atenção maior às alterações climáticas e assinalou os seus 100 anos, em dezembro, com um artigo para o Washington Post onde celebrava as virtudes da confiança e do bipartidarismo na política e noutros empreendimentos.

Mais Notícias

Outras Notícias GMG