Greta Thunberg afirma que COP26 é um "fracasso"

Greta Thunberg afirmou esta sexta-feira (05 de novembro) que a cimeira do clima das Nações Unidas é um "fracasso", responsabilizando os líderes mundiais pelo "blá blá blá".

Esta sexta-feira (05 de novembro) a ativista sueca Greta Thunberg afirmou que a cimeira das Nações Unidas é um "fracasso", enquanto decorria uma manifestação em Glasgow onde se exigia aos líderes mundiais que agissem rapidamente em prol do ambiente, através de medidas concretas.

Thunberg disse que os compromissos de redução da emissão de gases por parte de algumas nações presentes na COP26 não são mais do que "blá, blá, blá". Aos milhares de protestantes que se encontravam com ela, afirmou: "não é segredo para ninguém que a COP26 é um falhanço".

"Já não existe uma conferência do clima. Isto é o festival mundial de lavagem verde da imagem", acrescentou.

Na primeira semana de discussão, alguns países anunciaram que pretendem reduzir a utilização de carvão e acabar com o financiamento a petrolíferas internacionais, mas pouco se falou do plano de descarbonização que os cientistas consideram ser preciso.

Dirigindo-se a todos os manifestantes, ridicularizou a liderança mundial, afirmando que "os nossos líderes não estão a liderar".

Assumir responsabilidades

Os países foram até à COP26 com planos ambientais nacionais que, teoricamente, quando trabalhados em conjunto, levariam a um combate eficaz ao aquecimento global a nível mundial. Contudo, apesar dos avanços da cimeira, a meta de limitar o aquecimento global até 1.5 graus pode não ser exequível.

"Os cientistas fizeram o que tinham a fazer e alertaram-nos para o problema. Os jovens fizeram o que tinham a fazer e alertam todos para o problema. Neste momento, salvar o ambiente está nas mãos dos líderes e de consensos generalizados", disse Natalie Tariro Chido Mangondo, uma ativista pelo clima do Zimbabué, de 23 anos.

Os ativistas esperam que cerca de 50.000 pessoas se juntem na capital escocesa no sábado (6 de novembro) para uma ronda global de protestos climáticos.

Mais Notícias

Outras Notícias GMG