Boris Johnson assume que variante inglesa é mais mortífera

O primeiro-ministro britânico diz que variante detetada inicialmente em Londres e no sudeste inglês "pode estar ligada a um grau mais alto de mortalidade".

A variante inglesa mais contagiosa do novo coronavírus também parece estar ligada a uma mortalidade mais elevada, disse esta sexta-feira o primeiro-ministro britânico, Boris Johnson.

"Agora também parece que há sinais de que a nova variante, aquela que foi identificada pela primeira vez em Londres, e no sudeste (de Inglaterra), pode estar ligada a um grau mais alto de mortalidade", avançou, durante uma conferência de imprensa na residência oficial em Downing Street.

O Reino Unido registou 1401 mortes devido ao vírus SARS-CoV-2, responsável pela covid-19, nas últimas 24 horas, superior às 1290 mortes notificadas na véspera.

Entre 16 e 22 de janeiro de 2021, foram registadas 8.686 mortes, o que equivale a uma média diária de 1.241 e a um aumento de 16,4% em relação aos sete dias anteriores.

No total, desde o início da pandemia covid-19, o Reino Unido contabilizou 95 981 mortes confirmadas da doença.

A pandemia de covid-19 provocou, pelo menos, 2 092 736 mortos resultantes de mais de 97,4 milhões de casos de infeção em todo o mundo, segundo um balanço feito pela agência francesa AFP.

Em Portugal, morreram 9920 pessoas dos 609 136 casos de infeção confirmados, de acordo com o boletim mais recente da Direção-Geral da Saúde.

A doença é transmitida por um novo coronavírus detetado no final de dezembro de 2019, em Wuhan, uma cidade do centro da China.

Mais Notícias

Outras Notícias GMG