Bispo italiano pede desculpas por dizer às crianças que o Pai Natal não existe

Depois de as suas declarações se terem tornado virais, o bispo Antonio Staglianò emitiu um comunicado no Facebook a dizer que não tinha intenção de desapontar as crianças, apenas chamar a atenção para os verdadeiros valores do Natal, diante do consumismo.

O bispo de Noto, na Sicília, pediu desculpas depois de ter dito a um grupo de crianças que o Pai Natal não era verdadeiro.

"Não, o Pai Natal não existe. De facto, posso acrescentar que o vermelho do fato que usa foi escolhido pela Coca-Cola por motivos puramente publicitários", terá dito Antonio Staglianò às crianças, na semana passada, no dia de São Nicolau (a figura que serviu de inspiração ao Pai Natal).

Depois de as suas declarações se tornarem virais, a diocese de Noto publicou um pedido de desculpas na página do Facebook, dizendo que não era intenção do bispo "desapontar as crianças".

"Eu não disse às crianças que o Pai Natal não existe, mas falámos sobre a necessidade de distinguir o que é verdadeiro do que não é. Por isso dei o exemplo do São Nicolau de Mira, um santo que levava dádivas aos pobres, não presentes. Na tradição anglo-saxónica ele tornou-se no Pai Natal, mas certamente não o Pai Natal criado pela Coca-Cola", indicou o bispo.

"Queria explicar que uma cultura de consumo como a dos presentes é diferente de uma cultura de dádivas que está na base da verdadeira mensagem do Natal. Jesus nasceu para se entregar a toda a humanidade", referiu.

O bispo lamentou que o Natal já não pertença aos cristãos. "A linguagem esvaziou-se", referiu, alegando que "as luzes e as compras" tomaram o lugar do Natal.

Mais Notícias

Outras Notícias GMG