Autora de ataque a mesquita condenada a 53 anos de prisão

Líder do grupo, que se assumiu como transgénero já na cadeia, terá decidido atacar a mesquita para passar a mensagem de que os muçulmanos não são bem-vindos nos Estados Unidos.

A autora de um ataque que provocou um incêndio numa mesquita no Minnesota, no centro-oeste dos Estados Unidos, em 2017, foi condenada na segunda-feira a 53 anos de prisão, informou o Departamento de Justiça norte-americano.

Na leitura da sentença, o juiz federal Donovan W. Frank, citado pela agência Efe, considerou o ataque, que causou danos materiais, um ato premeditado e sofisticado de "terrorismo doméstico".

O tribunal considerou provado que Emily Claire Hari, de 41 anos, Emily Claire Hari (que, antes de se assumir como transgénero, respondia pelo nome de Michael Hari) fundou no verão de 2017 a milícia "The White Rabbits", no Illinois, tendo recrutado pelo menos mais dois membros, Michael McWhorter e Joe Morris.

Os dois declararam-se culpados pela participação no ataque, aguardando ainda a leitura da sentença.

De acordo com o comunicado do Departamento de Justiça, o ataque foi motivado por ódio racial, tendo Hari decidido atacar a mesquita para passar a mensagem de que os muçulmanos não são bem-vindos nos Estados Unidos.

Na noite de 04 para 05 de agosto de 2017, o grupo viajou num veículo alugado até Bloomington, no Minnesota, com o objetivo de atacar o Centro Islâmico dar Al Farooq, segundo a mesma fonte.

Sob as ordens de Hari, a milícia lançou um explosivo através da janela do gabinete de um imã, provocando um incêndio e danos materiais.

Na altura do atentado, estavam no local duas dezenas de pessoas, que ajudaram a combater o fogo antes da chegada dos bombeiros.

Mais Notícias

Outras Notícias GMG