Exclusivo Abdullah, o meio-irmão e o complô para derrubar o rei da Jordânia

Voz crítica da liderança jordana, o príncipe Hamzah está em prisão domiciliária acusado de conspirar com "entidades estrangeiras", após se ter encontrado com líderes tribais.

Filmado de baixo para cima, sentado diante de um retrato do irmão, o rei Abdullah da Jordânia, o príncipe Hamzah garantiu: "Não quero levar a uma escalada, mas claro que não vou obedecer quando me dizem que não posso sair, que não posso tuitar, que não posso comunicar com pessoas, que só posso ver a minha família."

Numa série de vídeos colocados no Twitter, o meio-irmão do rei reagia à colocação em prisão domiciliária ditada depois de o governo o ter acusado de envolvimento numa conspiração para "desestabilizar a segurança do reino"haxemita. Filho mais velho do rei Hussein e da quarta mulher - e sua preferida -, Hamzah, de 41 anos, já antes denunciara, também em vídeo, enviado no sábado para a BBC, estar confinado ao seu palácio em Amã. Uma gravação na qual o homem que entre a morte de Hussein, em 1999, e 2004 foi príncipe herdeiro - o cargo passou então para o filho mais velho de Abdullah, também chamado Hussein, numa decisão vista como um golpe para Hamzah e uma forma de retirar poder à rainha viúva Noor - criticava duramente a liderança jordana. No vídeo, Hamzah denunciava "a incompetência que tem prevalecido na nossa estrutura governativa nos últimos 15 a 20 anos e que tem vindo a piorar".

Mais Notícias

Outras Notícias GMG