secretário de Estado

Insuficiência cardíaca.

Terminada a discussão, é preciso agir: informar, dar acesso e financiar

No mundo, mais de 26 milhões de pessoas sofrem de insuficiência cardíaca (IC). Em Portugal, estima-se que sejam 400 mil, mas o presidente da Sociedade Portuguesa de Cardiologia diz que tais números são de há 20 anos. A verdade é que esta doença é hoje um problema maior de saúde pública. Para alertar e consciencializar a sociedade e os órgãos decisores para a situação, o Global Media Group realizou de 6 a 8 de outubro um ciclo de conferências - com o apoio da Novartis e da Medtronic, transmitido em direto nos sites de DN, JN e TSF - no qual participaram especialistas, dirigentes da saúde e governantes. Aqui fica um resumo da participação de todos os oradores.

COVID-19

O que falhou em Reguengos? O modelo de lar, "uma bomba-relógio"

O surto de covid-19 no lar de Reguengos de Monsaraz veio "expor feridas conhecidas" de forma "violenta", porque há muito se sabe que o modelo de lar em Portugal, que dá resposta à maioria dos idosos, "é uma bomba-relógio", "uma realidade desadequada", admitem as Misericórdias. E quando algo corre mal, os argumentos são sempre os mesmos: falta pessoal, formação e financiamento. Ao DN, Manuel Lemos, Constantino Sakellarides, Manuel Lopes, Ricardo Mexia e André Dias Pereira falam do que falhou em Reguengos, do que falha em geral e da questão de fundo, "o envelhecimento".