PEV

José Ribeiro e Castro

Exigência e estado de emergência

Há doenças de que a negação faz parte. Nas adicções tem diferentes vestes: "isso não existe"; "não tenho isso"; "só os burros, a mim nunca acontecerá"; "o que aconteceu não quer dizer nada"; "foi só uma vez"; "passa logo"; "não tem problema"; "lido bem com isso, não sou parvo"; "sei muito bem o que faço". Acontece noutras doenças também. É um problema na saúde pública: ninguém se cuida, se protege, se trata se está nalgum modo de negação.

Opinião

O SNS dispõe de estatuto próprio, diz a LBS

O SNS dispõe de estatuto próprio. É o que está escrito no nº 3 da Base 20 da Lei de Bases da Saúde (LBS), aprovada há mais de 15 meses, correspondente a um terço do mandato do governo. É defendido que a situação sanitária do país, decorrente da pandemia que se instalou desde Março do corrente ano, é responsável por este défice legislativo, que toda a equipa da saúde está concentrada na resolução desta situação. Contudo, ele também é político, porque resulta da falta de vontade do governo para o fazer. Afirmamos, por isso, que o primeiro e principal responsável por este vazio que está criado na reorganização e funcionamento do SNS é o governo. Se, ainda assim, ele vai respondendo ao que é essencial, é porque os seus mais de quarenta anos lhe permitiram acumular experiência profissional e tecnológica que fazem dele uma organização com rotinas e automatismos de tal maneira consolidados que o tornaram apto a cobrir as principais necessidades da população.