América

Bernardo Pires de Lima

O debate vital

É bom que comecemos a alinhar expectativas. O desanuviamento diplomático proposto por Joe Biden é bem acolhido na Europa, mas ninguém está disponível para agir como se os últimos quatro anos não tivessem existido. Alemanha à cabeça. A recente sondagem do ECFR, feita a 15 mil europeus em 11 Estados, Portugal inclusive, coloca os alemães com a sensibilidade à flor da pele: a desconfiança com os EUA aumentou, será inevitável a predominância da China, o sistema político americano partiu-se, cresceu a vontade em autonomizar estratégias. Ou, como é mais comum dizer-se no léxico da comunidade alemã que faz e conduz a política externa, reforçou-se a ideia da "soberania europeia".

Bernardo Pires de Lima

A insustentável impunidade dos facilitadores

Depois de quatro anos de incitação ao ódio, discurso inqualificável sobre adversários políticos, ataques diários à imprensa "inimiga do povo", marchas intimidatórias de milícias supremacistas a proliferarem pelos quatro cantos da América, e invasões armadas em Congressos estaduais, só se surpreende com o que aconteceu no Capitólio quem andou a brincar com o fogo, desvalorizando sistematicamente a palavra e a ação do presidente Trump.