Verde esperança na Liga Europa. Rio Ave e Sporting a um degrau da fase de grupos

Um triunfo sobre o Aberdeen (1-0), com um golo de Tiago Tomás, permitiu ao Sporting garantir um lugar no playoff. Também os vila-condenses foram a Istambul eliminar o Besiktas nos penáltis e marcar encontro com o AC Milan.

Dia de verde-esperança para o futebol português. O Sporting e o Rio Ave venceram na terceira pré-eliminatória da Liga Europa e apuraram-se para o playoff de acesso à fase de grupos. Os vila-condenses foram a Istambul eliminar o Besiktas e marcar encontro com o colossal AC Milan, enquanto o próximo adversário dos leões é o Lask Linz, que goleou o Dunajska Streda, por 7-0. A primeira mão é já na próxima semana (1 de outubro), estando em disputa um lugar na fase de grupos da prova secundária da UEFA, onde já têm lugar o Sp. Braga e o Benfica, que falhou o acesso à Champions (prova que terá a presença do FC Porto).

O Sporting conseguiu um triunfo pela margem mínima na estreia, mas deixou alguns bons indicadores para o futuro. Um deles, Tiago Tomás, o autor do golo frente ao Aberdeen (1-0), que coloca o Sporting no playoff de acesso à fase de grupos da Liga Europa. Um golo que o camisola 19 "jamais" irá esquecer. "Faltam-me palavras para descrever o que sinto. Estou muito feliz por ter feito o meu primeiro golo oficial pelo Sporting. Sonhava desde pequenino com isto e ver que se tornou realidade é gratificante. Ainda para mais na minha estreia num jogo europeu, é uma noite inesquecível para mais tarde contar aos meus netos."

Começar a época com uma final não era o ideal para a equipa de Rúben Amorim, por tudo o que se passou na última semana devido à covid-19 e depois de ver o jogo com o Gil Vicente da primeira jornada da I Liga adiado. Notou-se alguma falta de competitividade frente aos escoceses, normal para quem não compete a sério desde o final da época passada, a 26 de julho. Apesar disso, Pedro Porro foi uma boa surpresa, pela entrega ao jogo e pela disponibilidade física, num jogo em que o capitão Coates voltou aos bons jogos e liderou a equipa nas horas de maior sufoco.

O jogo esteve em risco de não se realizar devido à covid-19, mas os testes negativos a 48 horas do jogo sossegaram a UEFA e as autoridades de saúde, que deram luz verde à estreia leonina na nova época. Havia muita expectativa para saber que onze do Sporting alinharia de início, uma vez que a equipa não joga desde o dia 7 de setembro e há nove jogadores infetados com o novo coronavírus e impossibilitados de ajudar a equipa. O treinador também testou positivo e foi por telemóvel que deu o primeiro onze da época, com Sporar no banco: Adán; Coates, Luís Neto e Feddal; Pedro Porro, Matheus Nunes, Wendel e Nuno Mendes; Vietto, Tiago Tomás e Jovane Cabral.

Sem uma entrada efusiva no jogo, o Sporting chegou cedo ao golo. Grande trabalho de Vietto a isolar Tiago Tomás, que na cara do guarda-redes não tremeu e fez o 1-0 para os leões aos sete minutos de jogo. Uma estreia de sonho do jovem de 18 anos, que assim se tornou o mais jovem a marcar pelos leões nas provas europeias no jogo de estreia e o segundo mais novo de sempre (18 anos, 3 meses e 9 dias).

Jovane sem brilho e falta de um homem na área

Com mais oito jogos nas pernas nesta época do que os portugueses, o Aberdeen jogava na expectativa das ofensivas leoninas, como que à espera de ver o que valia o leão. Aos poucos foi ganhando terreno no meio-campo e atrevimento ofensivo, fazendo das bolas longas e dos livres diretos um recurso importante. Com Jovane uns furos abaixo do brilhantismo da reta final da época passada, ficou evidente que falta ao Sporting uma presença forte na área. O camisola 77 esteve perto do golo antes do intervalo, mas Lewia adivinhou-lhes os pensamentos e impediu que marcasse. Uma grande intervenção do guarda-redes do Aberdeen, que assim levou o jogo para intervalo.

A magra vantagem da equipa de Rúben Amorim deixava o jogo em aberto para o segundo tempo. Com o passar dos minutos notava-se a melhor forma física dos escoceses na forma como pressionavam a saída da bola. O jogo foi-se tornando mais tático. O Sporting insistia em chegar à baliza pelo corredor central - foi assim que chegou ao golo no primeiro tempo - e não corria grandes riscos, enquanto o Aberdeen teimava em jogar no erro leonino. Uma delas ainda levou perigo à baliza de Adán, que esteve seguro na estreia oficial pelos leões, na baliza que tem sido do jovem Max.

Aos 56 minutos, Tiago Tomás esteve perto do segundo, mas o cabeceamento saiu por cima da baliza. E já depois de os leões reclamarem uma grande penalidade (aos 70') o jovem camisola 19 saiu para dar lugar a Sporar. Merecia os aplausos das bancadas, mas a pandemia roubou-lhe essa oportunidade. Para a história fica o golo que colocou o Sporting no playoff de acesso à Liga Europa.

Lotaria dos penáltis sorriu ao Rio Ave

A equipa de Mário Silva não tinha uma missão fácil em Istambul, mas nunca baixou os braços e garantiu o apuramento nas grandes penalidades, depois de forçar o Besiktas a jogar um prolongamento. No final do tempo regulamentar e do prolongamento registava-se um empate, 1-1, pelo que foi preciso achar o apurado nos penáltis, onde os portugueses levaram a melhor sobre os turcos (4-2). A equipa de Vila do Conde tenta a segunda presença na prova europeia.

Os turcos colocaram-se em vantagem logo aos 15 minutos, através de um cabeceamento de Güven Yalçin. O golo entusiasmou o Besiktas, que esteve por diversas vezes à beira de aumentar a vantagem, vendo inclusive Dorukhan Toköz rematar ao poste pouco depois da meia hora. No entanto, a equipa portuguesa reagiu na segunda parte e logo aos 57 minutos Bruno Moreira, após cruzamento de Carlos Mané, cabeceou à barra. A mesma dupla acabaria por conseguir o empate a cinco minutos dos 90, com novo cruzamento de Mané para o Bruno Moreira concluir da melhor forma.

Ainda antes do final do tempo regulamentar, o Besiktas esteve muito perto de sentenciar a eliminatória, mas o remate do ex-vimaranense Bernard Mensah foi desviado pelo guarda-redes Pawel Kieszek para o poste. O jogo acabou por ir para prolongamento, durante o qual vieram ao de cima as dificuldades físicas dos jogadores. As melhores ocasiões de golo pertenceram ao Rio Ave, com Gabrielzinho, num rápido contra-ataque, a rematar contra um adversário quando estava em boa posição. E nos instantes finais foi Carlos Mané a surgir isolado, mas o remate cruzado foi defendido pelo guarda-redes Utku Yuvakuran.

No desempate por penáltis, o Rio Ave foi mais feliz, pois transformou todos os remates em golos - Bruno Moreira, Aderlan Santos, Jambor e Matheus Reis -, enquanto os turcos falharam dois penáltis, por Welinton e Larin.

No final houve água e sumo na cabeça de toda a gente e uma garantia do treinador: "Milan? Os nomes não nos assustam."

Mais Notícias