Exclusivo Mueller em versão atendedor de chamadas recusa alimentar guerra política nos EUA

Ex-procurador especial para a investigação sobre as interferências russas na campanha para as eleições de 2016, Robert Mueller, de 74 anos, esteve quase sete horas a testemunhar no Congresso norte-americano

"Remeto para o relatório", "não posso ir para além do relatório", "não posso falar sobre isso", "não vou falar sobre conclusões", "não concordo", "sim", "verdade", "correto". Foi numa versão de atendedor de chamadas que Robert Mueller, ex-procurador especial que liderou a investigação sobre as interferências russas nas eleições americanas de 2016, se apresentou nesta quarta-feira perante a Câmara dos Representantes do Congresso dos EUA.

Os democratas, maioritários nesta câmara, tentaram transformar esta audiência numa versão em filme do relatório de 448 páginas que foi elaborado por Mueller e apresentado, em abril, pelo procurador-geral dos EUA, Wiliam Barr. Na esperança de extrair do seu testemunho material inequívoco para justificar um processo de impeachment contra Donald Trump. Mas Robert Mueller, de 74 anos, recusou ser a personagem principal desse filme, indo ao ponto de recusar recitar, ele próprio, as passagens do relatório sobre as quais os representantes queriam esclarecimentos adicionais. Quem as leu foram os eleitos que o estavam a questionar. Mais do que uma vez. Em certos casos.

Mais Notícias

Outras Notícias GMG