Moderno e majestoso. Eis o estádio mais caro do mundo

As equipas de futebol americano de Los Angeles. LA Rams e LA Chargers têm uma nova casa que custou cinco mil milhões de dólares. É o sexto edifício mais dispendioso de sempre.

Quatro anos depois do início da construção, foi inaugurado o estádio mais caro do mundo. Foi preciso qualquer coisa como cinco mil milhões de dólares (4,2 mil milhões de euros) para colocar de pé o SoFi Stadium de Los Angeles, nos Estados Unidos.

É, para já, o sexto edifício mais dispendioso de sempre, só superado pela base militar subterrânea em Zeljava, na Croácia, que custou 44,1 mil milhões de dólares; o complexo de hotéis Abraj Al Bait em Meca, na Arábia Saudita (16,4 mil milhões de dólares); os resorts de Singapura Marina Bay Sands (6,33 mil milhões) e World Sentosa (5,68 mil milhões); a Apple Park, em Cupertino, na Califórnia (5,3 mil milhões).

O SoFi Stadium é, na realidade, uma obra majestosa, que ultrapassa os custos do MetLife Stadium, propriedade das duas franquias de futebol americano de Nova Iorque, os Jets e os Giants, que desembolsaram 1,7 mil milhões de dólares (1,4 mil milhões de euros) pela nova casa inaugurada em 2010.

Antes de mais importa recordar que Los Angeles estava órfã de uma equipa de futebol americano desde 1994, ano em que os Rams se mudaram para Saint Louis. Muito antes disso, em 1960, os Chargers tinham feito as malas e viajado para San Diego. Os fãs do futebol americano ansiavam por ter uma equipa na cidade e, em 2014, Stan Kroenke, o milionário dono dos Rams, adquiriu 24 hectares de terreno em Hollywood Park, em Inglewood. Onde havia uma pista de corridas de automóveis ia nascer a nova e majestosa casa dos Rams e não só. É que a ele juntou-se Dean Spanos, proprietário dos Chargers, e a ideia floresceu ainda mais , sobretudo quando o autarca de Inglewood, James T. Butts, abraçou o plano e fê-lo aprovar.

Em 2016, os Rams regressaram a Los Angeles e as obras começaram. No ano seguinte, foram os Chargers a fazer o mesmo caminho. Ambos jogaram até agora no Memorial Coliseum, palco dos Jogos Olímpicos de 1984, mas desde terça-feira podem começar a utilizar a nova casa.

Tecnologia de última geração

Mas o que tem de especial o SoFi Stadium? Desde logo uma localização invejável, pois encontra-se a seis quilómetros do aeroporto internacional de LA, a 18 do Passeio da Fama de Hollywood e a apenas 24 do centro de Los Angeles.

Majestoso será o adjetivo mais vezes utilizado para quem se aproxima do recinto, quando se depara com os 37 pilares antissismo, com 30 metros de altura, que suportam a cobertura gigante composta por 35 mil painéis de alumínio que cobrem a zona exterior do recinto, incluindo a denominada Champions Plaza. A cobertura do estádio propriamente dita é translúcida, para deixar passar a luz para as bancadas e para o relvado e os topos do recinto são abertos para que o ar possa circular no interior.

Mas a grande joia deste recinto é o The Oculus, um painel eletrónico de vídeo oval, fixado no centro da cobertura e que acompanha a disposição das bancadas, permitindo uma boa visibilidade a todos os espectadores. São mais de cinco mil metros quadrados de ecrã de dupla face com resolução de 4 K, formado por 80 mil painéis LED com mais de 80 milhões de pixels. É uma tecnologia de última geração, acompanhada por 260 sistemas de áudio e 56 antenas de rede wireless 5 G.

Em termos tecnológicos, aos utilizadores dos 13 mil lugares premium do estádio é ainda disponibilizado o melhor da Google, que oferece uma aplicação para telefone que ajudará os adeptos a orientarem-se no recinto, mas também a memorizar a localização do seu automóvel no parque com capacidade para 53 mil viaturas. Está ainda em fase de desenvolvimento uma função que permitirá assistir, nos telefones, às repetições de jogadas quase em tempo real.

Naming milionário

´Com o mundo a viver uma pandemia, será pouco provável que nos próximos tempos as bancadas tenham os 70 mil lugares preenchidos, muito menos as cem mil pessoas para eventos que permitam a utilização dos lugares em pé nas amplas plataformas do recinto. Contudo, quando isso for possível, estarão a trabalhar 30 mil pessoas nos mais diversos serviços disponíveis no estádio, como sejam os 20 restaurantes.

Contudo, o SoFi Stadium está longe se ser apenas um recinto desportivo, pois tem ainda um hotel com 300 quartos e um auditório para concertos com seis mil lugares. Além disso, tem 90 mil metros quadrados de área disponível para escritórios, sendo que ali irá funcionar a sede da Costa Oeste da NFL, a liga profissional de futebol americano.

E como se torna rentável este empreendimento? Além de todos os serviços que alavancam uma boa parte das receitas, a empresa financeira SoFi dá o nome ao estádio, a troco de 30 milhões de dólares anuais (25 milhões de euros).

Certo é que para os próximos anos estão previstos alguns dos maiores eventos do planeta: o Superbowl 2022; a final do Mundial de futebol de 2026; e as cerimónias de abertura e encerramento dos Jogos Olímpicos de 2028. E outros se seguirão...

Mais Notícias