Concertos, óperas, museus: "a arte não para", muda para a internet

Músicos transmitem concertos através das redes sociais, teatros e orquestras disponibilizam o seu arquivo online. Nós ficamos em casa mas há muita arte acessível com um clique.

Primeiro vieram as notícias dos cancelamentos. Por causa da epidemia de covid-19, os teatros e os cinemas fecharam as portas, tal como galerias de arte, museus e monumentos. Espetáculos, concertos e festivais foram cancelados. Mas, logo a seguir, começaram a surgir as notícias dos artistas que, apesar de tudo, não queriam ir para casa. No domingo, o músico James Blunt deu um concerto em Hamburgo, tal como estava previsto, mas perante uma plateia vazia e que foi transmitido em direto através da internet. Também no sábado, os músicos Salvador Sobral e André Santos também tocavam para um público virtual - mas neste caso o concerto foi pensado especificamente para ser transmitido online.

O sucesso destas e de outras iniciativas, um pouco por todo o lado, serviu de estímulo a mais artistas e instituições que estão a disponibilizar, através da internet, várias obras de arte. A agenda vai ficando composta. E porque os dias são de crise, deixamos aqui algumas sugestões nas áreas de música, espetáculos e museus. Todas de acesso gratuito.

Concertos à distância

Fiquem em casa com a Lika

Lika é uma cantora do Cazaquistão que mora em Portugal desde 2015, estudou no Hot Club e acaba de lançar o seu primeiro álbum de originais, intitulado Back to Zero. Perante a impossibilidade de se apresentar ao vivo, e numa tentativa de apelar à quarentena voluntária e ao mesmo tempo apoiar a cultura, a cantora lançou o movimento Stay at Home with Lika, promovendo uma série de concertos transmitidos em streaming em direto nas suas redes sociais. O primeiro concerto aconteceu nesta segunda-feira, às 11.00, a partir do escritório de Lika. Todos os dias será transmitido um pequeno concerto da cantora de uma divisão diferente da sua casa, ou de casa de outros músicos que entretanto se associem à iniciativa.

Ou com o festival #EuFicoEmCasa

Outros músicos portugueses decidiram associar-se ao festival #EuFicoEmCasa, que, a partir desta terça-feira e pelo menos durante seis dias, também vai transmitir concertos em direto através do Instragam de cada um dos artistas participantes. O primeiro concerto começa às 17.00 e dura perto de meia-hora, seguem-se outros concertos pela noite dentro. A primeira a atuar é Bárbara Tinoco, mas entre os participantes encontramos nomes tão diversos como Tiago Bettencourt, Ana Moura, Selma Uamusse, Fausto Bordalo Dias, Carolina Deslandes, Júlio Resende, Capicua, Luís Severo, Frankie Chavez, Bispo, António Zambujo ou Fábia Rebordão. Veja aqui a agenda completa:

De volta ao teleteatro

Do Noroeste para crianças e adultos

A cortina abre-se e surgem os atores a cantar: "Miau, miau, miau. Vou-vos contar a história do Gato das Botas." O espetáculo do Teatro do Noroeste - Centro Dramático de Viana estreou-se em 2015, com encenação de Fernando Gomes, mas está desde esta segunda-feira disponível no canal de Youtube e na página de Facebook da companhia. Até 9 de abril, o grupo - que tem um serviço educativo bastante ativo e que na semana passada viu canceladas pela Câmara de Viana do Castelo 32 representações que seriam vistas por mais de sete mil alunos - propõe-se disponibilizar todos os dias um espetáculo novo, na sua maioria para o público infantil mas também para o público mais crescido. Algo que só é possível porque, nos últimos anos, o Teatro do Noroeste tem vindo a registar em vídeo praticamente toda a sua atividade. Quando se acabar o arquivo, se as medidas de restrição das salas de espetáculo se mantiverem, o grupo dirigido por Ricardo Simões pensará de que maneira poderá continuar a manter o contacto com o seu público. Este é o calendário das "apresentações":

A Mentira estreia-se no site do Teatro Aberto

Outras companhias de teatro estão a pensar também em publicar alguns vídeos online ou transmitir os espetáculos em streaming enquanto os atores representam para uma plateia vazia.

O Teatro Aberto, por exemplo, vai apresentar na internet a peça A Mentira, que se estreou no palco em dezembro de 2018. Com as atividades suspensas, o encenador João Lourenço decidiu colocar online um vídeo da peça de Florian Zeller com Miguel Guilherme, Joana Brandão, Patrícia André e Paulo Pires. Apesar de sublinhar que "isto não é teatro", o diretor do Teatro Aberto espera, desta forma, manter o contacto com o seu público e contribuir para que estes dias sejam menos cinzentos. O vídeo vai ser disponibilizado no site do teatro na quinta-feira, às 21.00 - no dia e à hora em que costumam estrear os espetáculos na sala.

O teatro catalão no sofá

O Teatro Lliure, de Barcelona, usa a tag #theshowmustgoon e #LliureAlSofà para disponibilizar nas suas redes sociais vários dos seus espetáculos. E abre a temporada no sofá na próxima quinta-feira com Hamlet, de Shakespeare, espetáculo encenado Pau Carrió com o ator Pól Lopes, que recebeu por esta interpretação o Prémio Buttaca de 2016. O espetáculo pode ser visto de quinta a sábado, às 20.00, e no domingo, às 18.00, horário habitual das sessões em sala.

As orquestras continuam a tocar

Em direto de Budapeste

O diretor musical da Orquestra do Festival de Budapeste, Iván Fischer, anunciou uma série de concertos de câmara com o título "Soirées da quarentena". Os concertos são transmitidos em direto, da sala de ensaios da orquestra, na Hungria, através do site oficial. O primeiro concerto aconteceu na segunda-feira. Na terça às 18.45 haverá um novo concerto, cujo programa inclui o Quinteto de Clarinete de Mozart e o Quinteto de Piano de Schumann. E na quarta ouviremos o Divertimento de Michael Haydn em D e o Quarteto de Cordas Menor de Mendelssohn.

Uma "sala virtual" na Filarmonia de Berlim

A Filarmonia de Berlim, na Alemanha, está fechada até 19 de abril mas a orquestra continuará a tocar na sua sala virtual. "Esperamos que, com esta iniciativa, possamos continuar a dar prazer ao maior número de pessoas com a nossa música. Já sentimos muita falta do público e esperamos manter o contacto, pelo menos virtualmente", explica, no site oficial, Olaf Maninger, violoncelista principal. A orquestra já tinha esta "sala virtual" a funcionar mas vai torná-la acessível gratuitamente durante 30 dias. Depois de se inscreverem, os espectadores terão acesso a mais de 600 concertos realizados pela Filarmonia de Berlim ao longo de mais de dez anos.

Met: uma ópera por noite

Também a Metropolitan Opera, de Nova Iorque, EUA, anunciou que enquanto as portas da sala de espetáculos estiverem fechadas transmitirá apresentações da série Live in HD, disponibilizando gratuitamente uma ópera por noite. Todos os Nightly Met Opera Streams começarão às 19.30 (23.30 em Lisboa) e ficarão disponíveis na página inicial do metopera.org durante 20 horas. Um consolo "para os amantes de ópera nestes tempos extraordinariamente difíceis", diz o dietor, Peter Gelb. "Todas as noites, ofereceremos uma joia operística completa diferente da nossa coleção de apresentações em HD dos últimos 14 anos." Depois de Carmen, de Bizet, nesta segunda-feira, seguem-se La Bohème, de Puccini (terça, dia 17), Il Trovatore, de Verdi (quarta, 18), La Traviata de Verdi (quinta, 19), La Fille du Régiment de Donizetti (sexta, 20), Lucia di Lammermoor de Donizetti (sábado, 21) e Eugene Onegin de Tchaikovsky.

E mais óperas para todos os gostos

Mais opções para os amantes de ópera: o site My Opera Player, que disponibiliza várias óperas (neste momento tem O Barbeiro de Sevilha, de Rossini) produzidas nos últimos anos pelo Teatro Real de Madrid, e o site Opera Vision tem disponíveis várias produções de qualidade que vão de Don Giovanni de Mozart a MadameButterfly de Puccini.

Também a Ópera de Viena disponibiliza online os seus arquivos e vai oferecer um espetáculo de ópera diferente todas os dias: As Valquírias, de Wagner, Falstaff, de Verdi, e muito mais.

Para os mais pequenos

Os pais também tocam nos concertos para bebés

A companhia Musicalmente também cancelou os seus concertos, mas anunciou entretanto que os concertos que estavam agendados para Coimbra, Leiria, Marinha Grande e Sintra vão acontecer à mesma a partir dos Pousos e podem ser acompanhados pela internet. O primeiro concerto realizou-se no domingo e, no final, Paulo Lameiro mostrou-se satisfeito, embora saliente que não se trata de repetir em casa a experiência do concerto ao vivo. É outra coisa. É um tempo para pousio, explicou o músico e pedagogo. "Vamos aproveitar estes momentos para nos contemplarmos, para que os nossos bebés possam ver-nos sem ser a correr", pediu. "Não podemos ter uma vida a correr digitalmente dentro de casa." Será, pois, o pousio necessário para nos prepararmos para a época da colheita. Para estes concertos não será preciso comprar bilhete, mas os pais de bebés até aos 5 anos devem inscrever-se para receberem instruções de como devem preparar a casa com as luzes adequadas e os materiais que vão servir de instrumentos em cada sessão - pois, apesar de grande parte do concerto ser transmitido em streaming, serão os pais a tocar alguns instrumentos e a interagir com os bebés.

Ver a MonaLisa e outras obras-primas sem filas

Os grandes museus não precisaram de uma pandemia para disponibilizar visitas virtuais. Há muito que é possível fazer visitas virtuais ou, pelo menos, aceder através da internet à coleção de algumas das mais importantes instituições, como por exemplo: Museu do Vaticano (Roma), Museu Arqueológico (Atenas), Museu do Louvre (Paris), Museu Britânico (Londres), Museu do Prado (Madrid), Metropolitan Museum (Nova Iorque) ou a National Art Gallery (Washington).

Em Portugal, também há vários museus acessíveis online, como o Museu dos Coches, o Museu Calouste Gulbenkian ou o Museu Nacional de História Natural e da Ciência.

Para mais descobertas e viagens virtuais pela arte, basta explorar a plataforma Google Arts and Culture.

Entre as muitas possibilidades, destaque para esta. As Gallerie degli Uffizi, em Florença, Itália, lançaram a campanha #UffiziDecameron (título inspirado na obra Decameron, de Boccaccio) e, todos os dias, dão destaque em foto ou em vídeo a uma das obras ou um aspeto da coleção.

"Como na obra-prima de Boccaccio, todos os dias contaremos histórias, obras, personagens dos nossos belos museus, unindo-nos em nome da cultura, da arte e, por que não, do lazer. Os Uffizi estarão com vocês, em vossas casas, para superar juntos o atual momento de dificuldade. Evitamos qualquer contágio, exceto o da beleza", explicou o diretor, Eike Schmidt. "Mesmo que os museus tenham de fechar as suas portas, a arte não para." E essa parece ser uma mensagem muito importantes nos dias que correm.

Mais Notícias