Premium Do dinheiro à cabeceira de Borissov aos cem dias de protesto contra o governo

No país mais corrupto da União Europeia há manifestações diárias contra o primeiro-ministro. Mas Boyko Borissov, que já vai no terceiro mandato desde 2009, não tem pressa em sair. Legislativas são em março de 2021.

Primeiro surgiu uma gravação áudio. Um homem que parecia ser o primeiro-ministro búlgaro dizia não hesitar em deixar cair o seu ministro da Economia se conseguisse também "queimar" uma deputada da oposição. Além disso, atacava membros do próprio partido conservador e populista e fazia pouco de outros líderes europeus. Boyko Borissov, que já vai no terceiro mandato desde 2009, negou que o áudio fosse verdadeiro e falou numa montagem.

Depois vieram as fotografias. Numa delas, o chefe de governo surgia deitado na cama, a dormir em tronco nu. Noutras imagens do mesmo quarto via-se, em cima da mesinha de cabeceira, uma arma. Dentro da gaveta, maços de notas de 500 euros - fotos diferentes com diferentes quantidades de dinheiro - e até pequenos lingotes de ouro.

Ler mais

Mais Notícias