Cascais paga quarentena a quem tem idosos em lares

Quem mora em Cascais e tem o pai, a mãe ou outro familiar num lar pode convidá-lo para passar o Natal. Basta inscrever-se e a autarquia paga os testes e a quarentena em hotéis.

A população de Cascais que tenha familiares em lares pode passar com eles a quadra natalícia com a garantia de que vai cumprir a quarentena em segurança. Esse período será passado num hotel e mediante a realização de três testes à covid-19, cujos custos serão suportados pela autarquia.

O idoso não precisa de estar num lar do concelho, mas tem de ser autónomo. Nestas condições, pode deixar a estrutura residencial onde se encontra e passar dois ou três dias com a família.

A autarquia chama à iniciativa "Operação Natal em Família", que foi criada com o objetivo de "mitigar o impacto da pandemia" junto dos mais velhos. As inscrições decorrem até sexta-feira.

Uma vez inscrita, a pessoa vai buscar o familiar ao lar para comemorar a quadra natalícia. Depois, o idoso e um acompanhante (pode ser um filho, neto ou outro familiar) fazem um teste antes de ir para um hotel, onde irão ficar os 14 dias da quarentena. Durante este período, fazem um segundo teste e só regressam ao lar depois da realização de um terceira análise à presença do SARS-CoV-2.

O regresso ao lar do idoso é feito por viaturas preparadas para o efeito, com todas as garantias de higienização e distanciamento social, sublinha Carlos Carreiras, o presidente da Câmara Municipal de Cascais.

Os custos dos testes, alojamento e alimentação são suportados pela autarquia.

"Esta é uma forma de permitir que as famílias passem o Natal juntas e evitar que haja contágios. Podem, assim, acarinhar as pessoas mais velhas, um dos grupos etários que mais têm sofrido com a pandemia. A solidão pode ser mais grave e provocar muitos danos. E, por outro lado, estamos a ajudar a hotelaria do concelho, que tem tido quebras significativas devido à covid-19", explica Carlos Carreira.

Isto porque a maioria dos idosos terão de passar o Natal longe das famílias. Algumas estruturas residenciais estudam a hipótese de ter quartos disponíveis para os que saem poderem fazer a quarentena, mas a capacidade de oferta de camas extra é pequena. Além de que poucos lares têm essa possibilidade.

O município estima investir entre 300 mil e 400 mil euros com a medida.

O concelho de Cascais tem 34 unidades hoteleiras e apenas oito não fecharam as portas durante a pandemia. Em abril encerraram 24 hotéis e, destes, quatro não voltaram a funcionar. Os restantes reabriram em junho e 23 voltaram a encerrar em novembro, sem previsão da data de reabertura.

A taxa de ocupação hoteleira durante a pandemia nunca foi além dos 35 %, mesmo nos meses de verão, situando-se nos 32% em outubro.

Outra das iniciativas da autarquia é a montagem de tendas junto às estruturas residenciais para idosos, de forma a permitir as visitas no Natal a um maior número de pessoas. "Disponibilizamos tendas aos lares que tenham condições para as instalarem. Desta forma, poderão ter mais espaço para permitir as visitas garantindo a máxima segurança", diz Carlos Carreiras.

As tendas são disponibilizadas pela Proteção Civil, estando dez preparadas para esse efeito, mas poderão ser mais. Destas, estão já montadas duas: uma no Lar das Fisgas, da Santa Casa da Misericórdia de Cascais, e na Cruz Vermelha do Estoril.

Mais Notícias

Outras Notícias GMG